Músicas, Seriedades, Burridades e Coisas Ogonorantes.

Um blog para quem não tem nada para fazer. Para pessoas que vieram do nada e hoje não tem porra nenhuma.

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011.

Nós aqui do blog não sabemos escrever muito bonitinho, com rimas e poesias, e ao nosso modo desejamos a todos os nossos amigos e/ou leitores, inclusive de Cingapura, um ótimo 2011; que tenhamos todos um ano bacaninha com: muita saúde, muito dinheiro, muita birita e muito sexo. Aproveitamos para pedir a extinção dos: bregueiros, pagodeiros, lambadeiros, flamenguistas, palmeirenses e mamutes. Xô tombem para o Dudu e para a Ana Boca de Tomar Mingau com Colher de Pau. Ah! Ia esquecendo, os remistas podem ficar, senão não teremos em que bater em 2011.

Destino Divino.

Apesar de ser mais doloroso, até a Igreja concorda que os romanos acertaram a forma pelo qual mataram Jesus, crucificado. Já pensou se eles tivessem escolhido matar Jesus com ataque de enxame de abelhas assassinas. As missas iam ser um auê danado, pois ao invés de fazermos o sinal da cruz, todos os presentes ficariam se debatendo, espanando o ar sobre as cabeças.

Um aga...

Meu amigo Mauro Monteiro na ocasião era casado com uma das donas da Perfumaria Phebo, e estava naquele dia almoçando no Restaurante Outro do querido Paulo Martins que nos deixou este ano. Eis que de repente adentra o recinto o grande Ed Carrapatoso e senta-se a mesa do Mauro. O Ed nunca foi afeto a um trabalho pesado, só conseguia cargos executivos de pouco esforço, daqueles de acordar ao meio dia e exigir no máximo 1 ou 2 horas de batente. Contudo naquele período o homem estava a cata de algo mais rentável, que lhe desse mais conforto do que o habitual. Pois bem, o Ed depois de devidamente acomodado vira-se para o Mauro e faz a seguinte indagação com ar de imposição.
- Ei Mauro, não tem nenhum aga que eu possa fazer lá pela Phebo?
Na lata o Mauro com sua genialidade maligna respondeu.
- Nem a propósito, a máquina que carimba a marca dos sabonetes quebrou justamente na letra aga (H). Pronto, começas hoje mesmo a escrever o aga nos sabonetes.

Comece o ano emagrecendo de verdade em apenas 5 etapas

Primeira etapa: comece cortando o açúcar e as frituras;
Segunda etapa: corte as massas e os molhos;
Terceira etapa: corte as bebidas alcoólicas;
Quarta etapa: corte os derivados de leite, pães e biscoitos;
Quinta e última etapa: Corte os pulsos… pronto, nunca mais vai ficar gorda(o).

Caipiras radicais.

Dois caipiras estavam caçando numa mata, quando passou por cima deles um cara de asa delta.
- Compadre, olha o tamanho daquele bicho! Atire nele, compadre!
E o outro atirou com uma daquelas espingardas antigas.
- Matou o bicho compadre?
- Eu não sei se matei, mas pelo menos o bicho largou o rapazinho!

Música para começar 2011.

Do último dia do ano velho ao segundo dia do novo ano o blog vai de jazz contemporâneo. O trio formado pelo pianista turco Fahir Atakoglu, pelo baterista cubano Horacio El Negro Hernandez e pelo baixista americano Anthony Jackson quebra tudo executando o tema Two Ways (Fahir Atakoglu) . A composição está no disco de Fahir Atakoglu - IF, gravado em 2005.

Cardápio de Final de Ano.

Todo ano tem final de ano e já está ficando chato. O pior é a comilança que não agüento mais nem sentir o cheiro. Peru e Tender estão limados de meu cardápio. Chester então foi a pior invenção do mundo, tiveram a infeliz idéia de fazer um Peru para pobre e me inventam esse treco e batizam com esse nome. Todo pobre que compra Chester não sabe dizer de jeito nenhum o nome certo do bicho – ontem lá em casa teve Xelster com Sidra. Essa mistura então é a maior responsável pelo plantão de virada do ano dos estudantes de medicina nos prontos socorros municipais. Para fugir dessa mesmice eu vou tacar o uísque na goela e ver se consigo chegar até meia noite.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Indignação 2.

Depois de ler a entrevista da Governadora Ana Júlia nos Jornais de hoje, torço também que ela seja presa junto com o Dudu. Com a devida vênia só me resta chamar a senhora de Boca de Tomar Mingau com Colher de Pau. Não se pode cobrar respeito de quem desrespeita a inteligência da gente. Ô ogonorantes espero que vocês não votem mais nessazinha.

Vendedor da roça.

O Raulzinho lá de sua Concórdia do Pará me manda essa bem ao estilo do blog; se chego em Cingapura porque não em Concórdia.


Um garoto inteligente, tipo o Condureba, vindo da roça, candidatou-se a um emprego numa grande loja de departamentos da cidade. Na verdade, era a maior loja de departamentos do mundo, tudo podia ser comprado ali.
O gerente perguntou ao rapaz:
- Você já trabalhou alguma vez?
- Sim, eu vendia algumas coisas lá na roça.
O gerente gostou do jeitão simples do moço e disse:
- Pode começar amanhã. No fim da tarde venho ver como se saiu.
O dia foi longo e árduo para o rapaz. Às 17h30 o gerente se acercou do
novo empregado para verificar sua produtividade e perguntou:
- Quantas vendas você fez hoje?
- Uma!
- Só uma? A maioria dos meus vendedores faz de 30 a 40 vendas por dia, não vou poder continuar com você. De quanto foi a sua venda ?
- Dois milhões e meio de reais.
- QUANTO? COMO CONSEGUIU ISSO???
- Bem, o cliente entrou na loja e eu lhe vendi um anzol pequeno, depois um anzol médio e finalmente um anzol bem grande. Depois vendi uma linha fina de pescar, uma de resistência média e uma bem grossa. Para
pescaria pesada. Perguntei onde ele ia pescar e ele me disse que ia fazer pesca oceânica. Eu sugeri que talvez fosse precisar de um barco, então o acompanhei até a seção de náutica e lhe vendi uma lancha importada, de primeira linha. Aí eu disse a ele que talvez um carro pequeno não fosse capaz de puxar a lancha e o levei à seção de carros e lhe vendi uma caminhoneta com tração nas quatro rodas.

Perplexo, o gerente perguntou:
- Você vendeu tudo isso a um cliente que veio aqui para comprar um
pequeno anzol?
- Não senhor. Ele entrou aqui para comprar um pacote de absorventes para a mulher, e eu disse: ''Já que o seu fim de semana está perdido, por que o senhor não vai pescar? ''   

Indignação.

Tenho vontade de ir aqueles jornais da TV Liberal sobre pessoas desaparecidas, que vai ao ar todas as terças e quartas feiras. São pessoas, geralmente pobres, que se aglomeram na Praça da República com um cartaz na mão, mal escrito, com nome das pessoas que estão procurando. Muitos sequer acham o que procuram. Minha intenção é fazer um cartaz enorme com a foto e o nome do Dudu. Esse cidadão que os cabocos elegeram não aparece para trabalhar desde que assumiu. Vez por outra faz aparições em inaugurações mixuricas da PMB, ou surge nos canais de TV fazendo marketing quando consegue a grana para aplacar a ira das empresas de comunicação.
O Dudu não conhece a cidade que administra. Nunca deve ter ido na Praça em frente ao Palácio Antonio Lemos (D.Pedro II), é uma imundice só. Mendigo para tudo que é lado, camelôs, pedintes e sujeira.
As ruas do tal Belo Centro são um caos, impera o desrespeito ao código de postura da cidade, onde lojistas e ambulantes se servem das calçadas em detrimento do ir e vir de seus próprios clientes. Por sua vez, clientes, lojistas e ambulantes ocupam as vias com carros e tabuleiros, esquecendo que essas vias foram projetadas quando da fundação de Belém, e não comportam essa desorganização. A par disso muita, mais muita sujeira. Um cartão postal da pior espécie não só para aqueles que nós visitam, como para nós mesmos, denotando falta de zelo, gente civilizada e governo.
Também não entendo como o Ministério Público não intervém junto ao poder público municipal para que se tome providências concretas e urgentes. É um empurrar de responsabilidades, alegando que projetos e planos estão sendo elaborados, que processos licitatórios estão em curso, para se valer do tempo e do esquecimento dos ogonorantes eleitores, que a cada eleição permitem que esses despreparados e mal intencionados ressurjam.
Ainda falta 1 dia para acabarmos o ano, e seria bom demais ver o Duciomar preso. Ficar de castigo pelo dobro do tempo que castigou Belém.
Vai trabalhar Duciomar! Aprende a ser limpo filho duma égua, pois ainda faltam 2 anos para pagares todos os pecados que cometes e cometestes contra a cidade.
E por fim também gostaria de tacar o porrete nesses pobres que ficam na Praça da República com o cartaz na mão procurando parentes perdidos, por terem votado nesse imundo.

P.S. – Lúcio se eu não conseguir pelo menos um processo depois dessa, vou começar o ano zerado e sem condições de competir contigo em 2011. 

Piada burra # 2

O médico determina para o velhinho:
- O Senhor tem que fazer um espermograma.
- TU TÁ BRINCANDO.

O futurista Diniz.

Nunca mais conheci ninguém para conjugar verbo no futuro como meu colega de colégio o Diniz. O homem era um craque para dar avisos no recreio de que no dia seguinte: tinha prova, jogo ou não teria aula. E para lembrar do Diniz vou tascar um verbo dele nesse aviso aqui do blog.
- Gente no 1º dia do ano não harará blog.

Piada burra # 1

O verdureiro pergunta para a velhinha.
- A Senhora gosta de verdura?
- Não posso estou com catarata.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Dicas para a turma rica do AlphaVille.

Minha gente rica que comprou imóvel no AlphaVille do Outeiro, parece que o projeto vai sair, e para que vocês tenham dias felizes por lá, o blog do condureba preparou uma série de reportagens com dicas muito úteis que vocês vão ter que incorporar em suas vidas. Vamos a primeira reportagem: Cursos Indispensáveis.
1º - Inscreva toda a sua família no curso de Boião do Morróida. Nele você aprende a comprar a câmara de pneu certa para a sua cintura, como encher o boião, como pegar jacaré, como dar saltos radicais. Nas aulas finais você aprende a usar o boião para mijar e fazer cocô na praia sem ser visto pela galera.
2º - Também faça o curso completo da Tia Karolayne de preparação de marmitex. No módulo 2 você aprende a comer de colher, inclusive macarrão e ervilha, este último então é importantíssimo para traçar uma galinha guisada.
3º - Basta escrever só a esposa no curso de primeiros socorros do Doutô Dionny, ele ensina a diferenciar curubuçu, de impinge, de pano branco e de frieira. Você também aprende a tratar de bicho do pé e escabiose das mais pelvelsas. No final do curso além do diploma, você recebe inteiramente grátis uma língua de pirarucu para tacar na pele em todo tipo de coceira.

Contatos do primeiro grau.

Um motora estava dirigindo pela Belém Brasília muitas horas, ele já estava cansado, com fome, com sono doido, de repente ele vê uma luz muito forte em sua frente e uma criatura baixa com um corpo todo estranho. Assustado, mas querendo saber o que é, o motora vai até o ser estranho e faz o primeiro contato:
- Josivaldo Terráqueo motorista de caminhão fazendo contato
.
E o ser responde:
- Severino motorista da Itapemirim fazendo cocô.

Santo remédio.

Velho com insônia é uma desgraça, anda pela casa toda, liga e desliga a TV, liga e desliga o rádio, troca a água várias vezes do copo da dentadura, fica fazendo visagem que nem morcego agüenta. A solução é seguir a risca a recomendação do seu Osório: - Deitar e se masturbar.
Depois de 2 horas se acaba dormindo de tão cansado.   

O mundo está se acabando.

Saiu ontem na imprensa do mundo inteiro que o Elton John teve um filho. Isto me lembra aquela história do caçador que numa de suas caçadas e por engano colocou seu guarda-chuva na mochila em vez da arma. Quando estava na floresta, um urso repentinamente apareceu em sua frente. Ele sacou o guarda-chuva da mochila, apontou para o urso e...vupt, o urso caiu morto de tanto rir.

Evolução da espécie.

Uma velhinha vai passear com seus netinhos, um de 9, um de 6 e outro de 3 anos. No passeio se deparam com um casal de cachorro cruzando. Diz o menininho de 9 anos.
- Olha vó eles estão fazendo amor.
Retruca o de 6 anos.
- Que nada, eles estão é fudendo mesmo.
E arremata o de 3 anos.
- E no cú.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Data que a gente nunca esquece.

Dia dos 15 anos então nem se fala. Não dá para esquecer nada, principalmente em comprar um pouquinho mais de isopor e cola seu decorador caceta!

De duas uma.

Administração deficiente.

No sábado que passou, dia 25 do Natal, a Sol não abriu e minha turma teve que arrumar outro local para a cachaçada, o escolhido foi a Estação das Docas. Já estávamos ainda cheirando a álcool da noite anterior, ou seja, ninguém estava 100% sóbrio. E rolou river, red e uísque a torta e a direita.
No início da tarde apareceu um conhecido que não é assíduo, e nos pareceu meio pesadão, nos dois sentidos. Lá pelas 5 da tarde o cara resolve mijar, e sai na direção dos banheiros. Depois de 10 a 15 minutos o cidadão volta meio ressabiado e reclama que a administração da Estação está uma porcaria, que nunca na vida ele passara por situação tão constrangedora.  Onde já se viu mijar sem privacidade nenhuma.
Ficamos intrigados com as colocações feitas pelo nosso colega e quando íamos indagar o que havia de fato ocorrido; um dos nossos que tinha ido também ao banheiro chega na mesa e avisa: - Gente está uma confusão danada para aquelas bandas.
Todos em coro perguntamos: - O que foi dessa vez?
- Porra um cara entrou no elevador para deficientes e mijou.
Putz, olhamos para o colega que ficou cabisbaixo, e tratamos de pedir a conta, nisso passa pelo corredor a nossa frente um aleijadinho esbravejando, muito puto, sentado na cadeira de rodas e mijado da cabeça aos pés.

Musica nova no blog – 13ª Melodia.

Nesta terça, quarta e quinta o blog vai de Chico Buarque de Holanda com sua canção Tem Mais Samba. A gravação é de Daniel Taubkin e sua banda, em seu disco Sertão Negro, de 2009.

Pra que serve isso.

Essa tá demais, vem um sacana e me inventa vodka sem álcool. Deve ser para tomar sonrisal, engov e outras cavalidades depois da bruta ressaca de tomar a que vem com álcool.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Troféu Ogonorante 2010.

Infelizmente o troféu ogonorante deste ano vai para a terra do sol nascente, para esse filhôdemaen desse japonês. Além de deixar o único filho, que a coisa que ele mais gosta, sem ar, acha que se a criança tiver uma queda não vai machucar nadinha. A vantagem segundo o Zecão é que os miolos e os pedaços de crânio da criança não se espalharão pelo asfalto, ficarão tudo dentro do saco.

Sabe das coisas.

Um conhecido do Cledivan, digo Ximbinha, aquele da Joelma, me disse que ele colocou o nome da banda em homenagem a pomada KY, e ficou bacaninha Calypso. Olha que eu não gosto dele, mas esse Cledivan é um vaselina danado!!! 

Guerra nuclear.

Dizem que somente as baratas e os pobres sobrevivem a uma guerra nuclear. Tombém com essa máscara contra gases mortais, não tem essezinho que morra.

Do capeta.

Pensei que aqueles milicos que viraram o tanque depois da bebedeira (Post - Nem tu Zé!) fossem os caras, porém me vem esse maligreno e capota esse rolo, não pode ser birita, isso é daquelas lombras do capeta. Depois quando a gente chama o filho duma égua de maconheiro ele vira o cão.

Eu avisei.

De nada adiantou meus avisos, esse turma é teimosa e já iniciou a obra do AlphaVille do Outeiro. Antes que vocês gastem mais cimento vou dar por esses dias mais uns alertas, aguardem!

Ciclovia.

No dia 23 o craque do Paulo Ribeiro apareceu na TV falando tudo que sabe em matéria de trânsito e do Via Metrópole. Endeusou que só a ciclovia, dizendo que a sociedade deve compreender que bicicleta é um veículo como outro qualquer e tem que ter seu espaço no sistema viário. Até aí tudo bem, contudo o Paulo tem que compreender tombém que tem muito dono de bicicleta que é um ogonorante como outro qualquer. Paulo, arrepara nas fotos que estão ai em baixo e olha a cagada que esses bestas quadradas fazem com uma bicicreta ou motocicreta dessas fraquinhas.




Casal perfeito.

Dizem que a relação dos dois é infinda, apesar de mortos. Começou desde a infância e não termina nem na eternidade. É o casal perfeito, exemplo a ser seguido. Quando ia encerrar esse comentário, eis que surge uma voz retrucando: Não vejo vantagem nenhuma nisso, o cara era surdo e ela era cega, só pode durar para sempre. Assim tombém até eu!

domingo, 26 de dezembro de 2010

Hollywood continua aprontando.

Que sacanagem! Esses gringos são carne de cabeça mesmo, mandaram o contrato do Uendeo em ingrês, como é que ele ia adivinhar que tinha que levar o paraquemol.

Pra quê?

Não sei a razão dos chineses terem inventado o macarrão eles só gostam de arroz e miojo.

Queimaram o filme.

Depois que largaram aquele vídeo na internet de uma aluna do colégio pagando boquete num aluno, agora as alunas de lá quando perguntadas onde estudam, enchem a boca e respondem: - No Ôlisses.

Internacional.

Até agora não entendi a razão do blog ter leitores em Cingapura. Não sei como eles traduzem o meu blog. Condureba na língua de lá deve ser tipo Willy a baleia assassina, ou Godzila o calangão malvado, pois não é possível que eles leiam essa joça. Mas está lá nas estatísticas, acessos de Cingapura 6. Tem também de outros locais, como a Croácia que é o 3º país onde tenho mais leitores. O segundo é os esteites, que deve ser pelos textos do boss tipo Hello My People. Recebi por esses dias um cartão de um croata me desejando um bando de coisas, tudo escrito em português a la’croata. A única coisa que fiquei fulo da vida foi com o os votos de um bom revelhão. Olha aqui seu croata, eu sou velho mas não sou burro, revelhão é a tua mãe seu filho duma égua.

Quanta maldade.

A vantagem de conhecer gente pobre e ogonorante é prometer louças e fundos no Natal e na hora da festa dizer a todos eles: 1º de Abril! Eles não sabem ler mesmo, imagina saber que dia é hoje.

A origem do ogonorante.

Essa história foi presenciada pelo Mauro Monteiro e aconteceu próximo da feira da 25 de setembro.
Em uma das vias da feira trafegava tranquilamente um casal de pobres com sua carroça entulhada de ferro velho, com carga excessiva para o cavalo.
Eis que de repente surge uma viatura da polícia ambiental e pede que parem a carroça. Salta da viatura um policial falando grosso e alto.
- Pode parar e descarregar imediatamente essa carroça, e vocês dois aí estão presos por maus tratos ao cavalo.
Nem bem o policial acabou de completar a frase, a mulher pobre, dona da carroça estrila de lá.
- Ô ogonorante esse cavalo é um trabalhadô como outro qualquer!

P.S. Ainda bem que Gladstone e Stoneglad são autirstas e não trabalhadô.


Deu na internet.

Haja fé.

O Camilo me manda um arquivo com imagens do deserto e um fundo musical horroroso, tocada por um organista péssimo, mas o tema da mensagem é lindíssimo, bem apropriado para esses dias natalinos. Vamos lá.
Abrahão levou o único filho para o deserto, amarrou-o a uma árvore e começou a fazer a fogueira sob os pés do menino.
Das alturas uma voz ecoou.
- Abrahão, Abrahão o que fazes?
- Senhor estou sacrificando meu filho, conforme vossa ordem!!!
- Não Abrahão eu só queria medir sua fé!!!
- Mas Senhor...
- Solta o menino!!!
Abrahão soltou o filho que saiu em disparada... Enquanto o filho corria Abrahão gritava:
- Volte filho, volte, o Senhor te libertou!!!
O menino parou bem longe e gritou:
- Libertou o cacete!!! Se eu não fosse ventríloquo estava fudido.

sábado, 25 de dezembro de 2010

É Natal


Em tempo - Dia 26/12 estaremos de volta. Beijos.

Música para o Natal.

Neste dia 25 vamos de Toninho Horta e Tom Lellis com Tonight (Leonard Bernstein & Stephen Sondheim).  A música está presente no disco “Tonight” gravado pela dupla Tom Lellis & Toninho Horta em 2008. Vale lembrar que a melodia faz parte da trilha sonora do filme: West Side Story (Amor Sublime Amor), de 1961, dirigido por Jerome Robbins & Robert Wise. No filme a música é interpretada por Richard Beymer e Natalie Wood.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Duas antas.

Caceta o Suavidade e o Bossalidade foram contratos par atacar a imprensa do sul e sudeste que vive limando a gente da previsão do tempo, e esses antas me erram a encomenda. Porra, errar é humano mas lembre-se que anta não é humano.

Feliz Natal!

Neste dia 24 a turma do blog vai postar pouca coisa, estamos comemorando esse tal de Natal. E aproveitando a data desejamos a todos os nossos leitores muitas fresh’s, milhares de bujudinhas importadas, peruzão cheio de farofa, aquela frutalhada da época, muita grana e pouco imposto, muita mulherada para os machos e muita rapaziada para as fêmeas, ou vice-versa para os homos, muita saliência para todos os gêneros e o essencial que é: saúde da vista para continuarem a ler o blog. Para aqueles que têm olhos de vidros ou são cegos de visão e escolaridade desejamos saúde dos ouvidos para escutar as burridades que fazemos. Beijos no coração, é o que deseja a Condureba Corporation.

Causos de Artistas.

Essas histórias têm como personagem central o Nelson Gonçalves, e foram contadas pelo Lobão em uma entrevista dada para uma revista nacional. 

Repórter Você conseguiu ter amizades tanto com Cazuza, do rock, quanto com Nelson Gonçalves, das antigas.

Lobão - Quando saí da prisão a Revista Manchete teve uma idéia genial: “vamos pegar dois cocainômanos de duas épocas diferentes e vamos colocá-los juntos”. Foi assim que conheci o Nelson. Foi logo se apresentando: “Lobão, muito prazer, sou Nelson Gonçalves. sou você anteontem”. Que figura!
Depois encontrei com ele na TVE, ele chegou e baixou as calças e mostrou pra gente a prótese peniana que ele havia feito na Europa!  O cara era um tarado incondicional! Quando fui gravar A Normalista com ele, achei estranho que ele tava na maior candura, veio me dar um abraço, aí de repente ligou o pênis dele, PÁ! Um pirocão do tamanho de um bonde! Saiu correndo atrás de mim: “Eu necessito de um coldre!”
Noutra ocasião estava chegando de uma semana na esbórnia, e encontrei com ele na RCA e disse: “Nelson, passei uma semana fora de casa, na esbórnia, como vou fazer agora?” “Faça como eu: vá para Paris e telefone de lá demitindo a sua mulher!”

Repórter - E ele como boxeur?

Lobão - No aniversário dele de 60 anos a RCA convidou Éder Jofre pra aparecer junto com ele num ringue. Criou o maior impasse! “É tudo brincadeira, viu Nelson?” “Brincadeira é o caralho. Vou nocauteá-lo.” “Calma, seu Nelson, quêisso!” Oito mil pessoas, festa de aniversário de Nelson Gonçalves, e ele entrou no ringue: “Vou nocauteá-lo!” No primeiro round já acertou um socão no Éder. Quando acabou o round, Éder reclamou: “Pô, ele me acertou bem aqui, fala pro Nélson pegar leve”. E o Nelson do outro lado: “Cobarde! Estás arregado! Estás com medo da minha pessoa”. Voltou e pimba! Deu mais outra catucada. O Éder falou: “Vou revidar, hein. Vou revidar... Tenho respeito pelo Nelson mas...” No terceiro round, Nelson deu uma e Éder Jofre deu outra: PUM! Nelson caiu estrebuchando! Neguinho fotografando tudo! Nelson foi levado pra fora ainda gritando: “Cobarde!”
Uma vez ele foi fazer um show no interior e pegou um Galaxie Landau. Antes de entrar no carro perguntou ao motorista: “Eu queria saber quantos quilômetros são daqui do aeroporto ao local do espetáculo”. O cara falou: “200 quilômetros”. “Duzentos quilômetros. OK.” Sentou e foram andando. De repente ele gritou: “Pára! Pára!”. O motorista parou e perguntou: “Mas o que é isso?” Era um lugar totalmente ermo, no meio de uma cordilheira. Nelson apontou pro velocímetro e falou: “Você me falou 200 km”. Abriu a porta, desceu e (soltando a voz): “BOEMIA!! AQUI ME TENS DE REGRESSO!!”


Muito boa.

O Maurição Lelis contou essa no sábado. Um velho já beirando os 100 anos, caquético e todo cheio de mazelas, se aproxima da caixa de salgadinhos que a mulher havia feito e tenta pegar uma coxinha. Vem a velha e bate na mão do velho bradando: - não mexe aí, que isso é pro velório!
Depois dessa piada acho que vou tirar o Maurício do castigo e incluí-lo no rol de meus amigos, digo grandes amigos. Porém se fizer outra tolice volta pro castigo.

Ecologia.


Dizem que o sonho desta moça é trepar nesta árvore.
(Eu disse nesta e não com esta)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

14 anos da Marly.

A Marly Condurú Fernandes minha prima fazia 14 anos e as comemorações foram na residência dos pais delas (meus padrinhos), e de meus avós, que residiam juntos. Foi um festão, onde compareceu toda a galera top de linha da época.
Eu já tomava meus birinaites, e quando ficava bacana dançava pacas. Com a cara limpa morria de vergonha, nem me atrevia, era uma pedra.
Tinha muita mulher bonita, mas tudo agarrada, os amigos da Marly não refrescavam e grudavam mesmo.
Depois duns cavalos brancos com guaraná meus pés não paravam de tremer de tanta cuíra para dançar. Olhei prum lado, pro outro e só tinha bonitinha ocupada. Numa dessas vasculhadas de vista deparei com uma mulher de costa, cabelos longos, negros. Fui em direção a moça, cheguei primeiro que os outros no pedaço, cutuquei o ombro ela se vira, era simpática até, tipo aquelas caboclas roliças do romance Gabriela do Jorge Amado, com alguns traços indígenas, diria que era parecida a essazinha que ganhou no fantástico, porém com mais enchimento.
Ela me olhou, e eu pedi para dançar. A priori ela tentou rechaçar, diante de minha insistência aceitou. Peguei a guria pela cintura, colei-a ao meu corpo e sai rodopiando com ela pelo salão.
Depois de 2 ou 3 rodopios vejo uma multidão de parentes na porta que fazia a ligação do salão de baile a sala onde estavam os comes e bebes. Era vovó, mamãe, tia Cleide, dindinha Lúcia, Mãe Preta e até a Natalina me chamando. Julguei que eu estava abafando e elas me aplaudindo.
A bonitinha não via nada, pois estava de costa. Como os acenos eram intensos, pedi para parar a dança e fui na direção de meus parentes, a moça quando viu aquilo, se esquivou e procurou se esconder no meio dos amigos da Marly.
Ao chegar perto de meus parentes, me deram um safanão para dentro da sala de comes e bebes e passaram um carão daqueles. Especialmente minha avó e a Mãe Preta. Não entendendo a razão daquilo questionei.
- Eras, vocês estão brigando comigo só porque eu resolvi dançar. Estou fazendo confusão por acaso? Estou bêbado?
- Não menino, estavas dançando até que bacaninha, mas jamais com a Deusa a nossa nova empregada.
Meu filme queimou de vez, resolvi me juntar aos meus primos e beber até vomitar.

Olha o código de postura.

Essa é para os pessoal da Prefeitura que não fazem nada pela cidade. Não vão me deixar esses dois fenômenos da birita abrirem filial uma em frente da outra, ou fazerem qualquer tipo de fusão. Lembrem-se que o Lamarão, a Helena e o Marco Aurélio se mataram fazendo esse código de postura, e esses dois sem compostura estão querendo bagunçar o coreto.

Mundo mais humano.

Se todo mundo fosse gordo, as pessoas estariam bem mais próximas.

O Sirlvão é melhor...

Saiu nestes dias nos jornais que o cientista Arikuni Achimura pegou um rato, ligou o escafóide no bubo raquidiano, o vomer com a clávicula, e o cérebro do roedor mudou inteiramente. Agora o rato canta igual a um passarinho, imita qualquer pássaro, desde ema até mutum. Pro rato de nada adiantou, pois gato gosta tanto de rato como de pássaro. A merda agora é que rato adora alpiste. Porém o fato não se restringe ao paladar do gato e do rato, e sim a competência desse cientista, que é posta no chinelo quando comparado ao Sirlvão, um gênio lá das bandas de Valha-me Deus, fazenda onde trabalha meu amigo Lelo. O Sirlvão chateado com as insinuações imorais que o burro fazia para a esposa dele pegou a Mimosa fez umas transfusões de sangue e umas lavagens estomacais, que a malhadinha agora faz o burro passar vergonha na frente de toda fazenda.

Explicação convincente.

O Gil Lima me mandou essa, e acho que até agora é a melhor explicação para o entrevero milenar entre os árabes e os judeus.
O árabe vai à loja do judeu para comprar sutiãs pretos.
O judeu, pressentindo bons negócios, diz que são raros e poucos e vende por 40 euros cada um.
O árabe compra 6, e volta alguns dias depois querendo mais duas dúzias.
O judeu diz que as peças vão ficando cada vez mais raras e vende por 50 euros a unidade.
Um mês mais tarde, o árabe compra o que resta por 75 euros cada.
O judeu encucado lhe pergunta o que faz com tantos sutiãs pretos.
Diz o árabe:
- Corto o sutiã em dois, faço dois chapeuzinhos (kipás) e vendo para os judeus por 100 euros cada.
Deu-se a merda, o pau cantou na casa de Habib.

É a maior do Brasil.

Todos sabem que sou corintiano dos roxos, e fico fulo da vida com essa turma dos urubus que vive dizendo que é a maior do Brasil. Quero ver duma cacetada pegar quatro duma vez só.  E olha que foi com uma só máquina de foto, dessas gitinhas. Para o delegado, essezinho de amarelo é maranhense, que segundo ele depois do Corinthians é o maior produtor nacional de lunfas.

De piadas e piabas.

Essa piada recebi de contribuição e nada tem a ver com a turma que gosta de pescaria, é tão somente uma constatação e um alerta.
Aquele grupo de empresários todo o ano ia pescar no Pantanal e para as férias ficarem completas, cada um levava uma destas mocinhas pouco apegadas aos preceitos morais e muito apegadas ao dinheiro, digamos apalavradas.
E essa rotina se repetiu durante algumas vezes até que um belo dia as esposas dos empresários decidiram acompanhá-los e não houve Cristo que as fizessem mudar de idéia. Como de costume, assim que chegaram na Pousada, o gerente veio recepcioná-los.
- Benza a Deus! Desta vez vocês arranjaram umas putas feias pra cacete! 

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Colombo e a Miss.

Essa história aconteceu antes da era do vídeo-game, quando os moleques só tinham as brincadeiras tradicionais, ou o passatempo de ficarem horas no banheiro exercitando as munhecas. O personagem era um colega de meu irmão caçula, e que também era nosso vizinho.
O garoto com seus 12 anos de idade e que não era muito afeto aos livros escolares, andava bastante nervoso, pois além de temer perder o ano e levar uma baita surra da mãe, estava em período de provas decisivas, e quem fazia a cobrança dos estudos era o pai, também nada amistoso para assuntos educacionais.
Era prova de história e a matéria que o moleque tinha que saber na ponta da língua para se sair bem na avaliação versava sobre o Descobrimento da América.
No final da tarde, depois da sesta, a mãe se vira pro menino e fala.
- Te deixei estudando a tarde toda. Julgo que devas ter aprendido a matéria.
- Claro mãe! Estou desde depois do almoço estudando.
- Teu pai está vindo aí e vai querer saber se estudaste de fato.
- Mãe já te disse, estudei toda a matéria que vai cair na prova.
- Me dá aqui o teu caderno, deixa eu olhar a matéria e te sabatinar antes do teu pai.
O moleque entregou para mãe o caderno, que folheou e abstraiu a pergunta clássica.
- Quantas caravelas tinham na frota de Colombo?
Numa fração de segundos o garoto tasca.
- Uma!
A mãe chocada com a resposta começou a preparar o cinto, quando ele emenda.
- Eu sei até o nome.
- E qual é seu filho duma égua?
- Santa Maria Pinto Marques.
Putz, foi cinto no couro do garoto em todas as direções.
Mal sabia a mãe que dias antes a Celice Pinto Marques da Silva havia ganho o título de Miss Brasil, e sua foto sensual de maiô estampara todos os jornais da época.

Reclamação do tempo.

Leitor do blog ligou indignado com a imprensa do sul e sudeste, aquela que faz os jornais nacionais das principais redes de televisão. Diz o leitor que os caras da previsão do tempo alardeiam que o verão chegou em todo o Brasil, e esquecem de informar que aqui é inverno dos brabos desde prisca eras e que também somos Brasil. Os desinformados ainda dizem que as chuvinhas que estão acontecendo é por conta do La Nina.
Para apoiar nosso leitor já pedimos ao Zecão para dar um corretivo nessa La Nina. Essa caceta vem lá da terra dos argentinos molhar justamente a gente.
Quanto a imprensa do sul e sudeste tivemos que apelar para ogonorância e contratamos o Suavidade e o Bossalidade para passar a régua.

Jogo dos 8 erros.

Dizem que no blog só tem burridade, logo vai aí um brinquedo educativo, o jogo dos oitos erros. Não tem o que errar, os números estão em braille.

Músico português no pedaço.

A música que irá comandar o blog nesta quarta, quinta e sexta, é Modinha de Sérgio Bittencourt, tocada magistralmente pelo saxofonista português Carlos Martins e Orquestra. (Disco: Carlos Martins - Do outro lado - 2006). Quem não lembra:
Olho a rosa na janela,
Sonho um sonho pequenino:
Se eu pudesse ser menino,
Eu roubava essa rosa
E ofertava, todo prosa,
À primeira namorada
e nesse pouco ou quase nada
Eu dizia o meu amor,
O meu amor...
Olho o sol findando lento,
sonho um sonho de adulto:
Minha voz, na voz do vento,
Indo em busca do teu vulto
E o meu verso em pedaços
Só querendo o teu perdão.
Eu me perco nos teus passos
E me encontro na canção.
Ai, amor, eu vou morrer
Buscando o teu amor...
Ai, amor, eu vou morrer
Buscando o teu amor...
Eu vou morrer de muito amor.

Niver da Dinda.

Minha Dinda Nara está fazendo aniversário hoje, e faço questão de registrar aqui os meus parabéns, com um beijo no coração e o desejo da maior felicidade possível.
Aliás, dezembro é o cara, só nasceu gente boa no pedaço. É o mês do Paulo César meu primo (01/12), da outra Dinda, a Janete (11/12), da Ana Catarina e do Mauro meu irmão (19/12), do Felipe meu neto (23/12), do Jesus (24/12) e de mim mesmo (15/12) que descobri somente este ano que sou gêmeo do Oscar Niemeyer.

Seu Coimbra.

Tivemos um barbeiro que sempre ia em casa cortar os cabelos de meu papai, meu e de meus irmãos. O homem já era velhão, devia ter cortado o cabelo do vovô ainda criança. Nosso corte, imposto pela mamãe, era o tradicional militar ou evita piolho, onde só ficávamos com cabelos nos cocurutos. A máquina manual devia ter a mesma idade do Seu Coimbra, e certamente nunca havia sido amolada. Tínhamos um pavor de cortar cabelo, muito mais do que do Dr. Humberto nosso dentista, mas conhecido como pai do besteirão. E olha que o Dr. Humberto usava alicate e serrote, porém nada comparado à máquina do Seu Coimbra. Para vocês terem uma idéia de quem foi Seu Coimbra, rolava pela cidade uma piadinha entre seus clientes tradicionais que dizia.
- Oi Waldemar, estiveste na barbearia do Seu Coimbra?
- Sim, estive sim, mas como sabes?
- Estou vendo o rastro de sangue no chão!!!

Festa de Natal do blog.

Depois da festa do niver do blog que tacaram a cara do boss no bolo, pensávamos que não ia ter a festa de Natal. Contudo depois que vimos o carro do chefe chegar, estamos todos animados. A merda que ele só bebe redondo, e nós gostamos de fresh e bujidnha. Mas como nós vamos vomitar mesmo, o jeito é encarar essa bicha.

Pelos corredores estão espalhando que não vai ter blog nos dias 24 e 25, pois o boss aceitou ganhar uns trocados extras para se vestir de Papai Noel e ficar balançado o sino em frente a garagem do Sacramenta-Nazaré.  É muita pobreza pro nosso gosto!




Conselho para Executivos.

Jamais peça para sua secretária tirar cópias dos comprovantes de sua maior despesa mensal.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Ditados inúteis.

O ditado é: “Não confundam alhos com bugalhos”. Mas que porra é essa que até hoje não sei o que é bugalhos. Caso ainda estivesse vivo meu amigo Herman diria: Não servir pra nada!

Invendável.

Esse fato ocorreu há pelo menos 20 anos atrás. O Naldo meu primo e um amigo, o João Carlos, mais conhecido no pedaço como Português, compraram em sociedade um carapananzal de alguns mil hectares em Anajás. Era uma terra imensa, provavelmente 1/3 de Anajás, porém um berçário de carapanãs de todas as espécies. Houve algumas tentativas de investimentos na área. Lembro de terem contratado o Rui Celso Tomaz, um primo já falecido, para desvendar o território. O Rui herdou do pai a paixão pelas selvas, e era caçador tipo Jim das Selvas, Tarzan e outros heróis da mesma estirpe. Eu como conhecia bem o Rui tenho quase que certeza que ele deve te morto por lá muitos ursos, pandas e dromedários, mas esse não era o foco da empreitada.
Vez por outra o Rui vinha de lá e contava suas aventuras em Anajás, entretanto nunca tinha notícias positivas para dar aos investidores, tipo, achamos petróleo, pirâmides, múmias ou outra coisa que impulsionasse de vez o negócio.
Considerando que o terreno só fazia gerar despesas e carapanãs, o Naldo chamou o Português e decretou, vamos vender o terreno, prepara o anuncio e coloca nos classificados, pela experiência que tenho no ramo imobiliário em no máximo 30 dias venderemos esse terreno.
Como o Naldo já nasceu ganhando na mega-sena, acabou esquecendo da história da venda do terreno.
Passados cerca de 10 meses estavam: Naldo, Português, Paulo Cal, Raul e João Sá dentro de um barco fazendo a travessia de Marudá para Algodoal, e a conversa girava sobre negócios, cifrões, investimentos. Papo de gente grande, de barão.
O Naldo demonstra interesse em participar dessa nova empreitada que iria exigir certa quantia em dinheiro. Naquele instante o Naldo lembrou do terreno do Anajás, e pensou, pego a grana do Anajás e já invisto nesse outro treco. Vira-se para o Português e indaga.
- João Carlos cadê a grana do terreno do Anajás?
Diz o Português de bate pronto.
- Ainda não conseguimos vendê-lo!
- Égua meu, haja meses que colocamos isso a venda e nada. Apareceu pelo menos alguém interessado?
- Apareceu foi muita gente pá. Mas os moços nem se interessaram em conhecer nossa quinta.
- Certamente deves estar pedindo caro pelo terreno. Quanto pediste Português?
- A bagatela de 1 milhão de dólares!
Quase que o barco vira. Onde já se viu um carapananzal valer 1 milhão de dólares? Talvez em terras do além-mar.

Lugar de criança é brincando.

- Mamãe, cansei de brincar com o vovô!
- Está bem! Guarde os ossos no caixão, escove os dentes e vá dormir!

Exclusão sexual.

Como a minha cama já estava pedindo outra comprei em setembro uma mais moderna, uma box americano king, a bicha tem cerca de 80 centímetros de altura. Quando se está deitado dá até medo de olhar para baixo. É muito alta, eu durmo todo amarrado para não cair e quebrar de novo o braço. Ontem revirando uns papéis velhos encontro o prospecto de minha cama, e descubro que a mesma foi feita especialmente para hotéis e motéis. Meu Deus uma cama dessas em motel deve ser uma maravilha para uns e transtornos para outros, pois recordei de uma situação vivida em um motel por um amigo meu.

Esse amigo saiu de uma festa com uma mulher que valia a pena, e foi parar em um motel de boa categoria, onde as camas eram box’s americanos. No bem bom escutava alguém no quarto ao lado gritar: 1, 2, 3....ui.
Esses gritos ocorreram por mais de 20 vezes, e meu amigo ficou intrigado com aquilo. Julgou que fosse até uma nova posição de sexo.
Na saída teve que ir a recepção do motel, pois dera bronca na liberação do crédito do cartão. Lá encontra um cidadão espinafrando a gerência, alegando que sequer tinha comido a mulher por conta da cama. Quase teve um tro-lo-ló de tanto rir, pois o cara, que não trepou por conta da cama, era um anão. Quanto aos gritos, julgamos que o anão tirava distância, contava 1, 2 e 3 e se jogava para tentar subir na cama, o ui devia ser da queda. 

Etiqueta social.

Gostaria de fazer essa pergunta para a Danuza Leão ou para a Cláudia Matarazzo. Todos estão corocas de saber que falar com boca cheia é uma baita falta de educação. Contudo se a pessoa for surda e muda e pedir catchup com um pedaço de hot-dog na boca é falta de educação? Grave ou Leve?

Sinceridade.

Um homem chega desesperado ao médico e pergunta:
- Doutor, por favor, seja sincero... O meu caso é grave?
- Não é muito não... Pegue a sua mão aí no chão e vamos até minha sala que eu vejo o que posso fazer!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Pai nosso misericordioso.

Tem gente querendo me corrigir, dizendo que o certo é caboclo. Pra mim cabloco é menos ogonorante que caboco. Não é de chorar de tristeza? É coisa de gente pobre e brega! Onde já se viu fazer desfile de carro aberto com menina fantástica, ainda por cima de bugre do bombeiro. É muito pro pai eterno. A partir de ontem se me perguntarem onde nasci, jamais vou dizer que foi em Belém, é muito cabocada pro meu gosto.

Chamada de emprego!

Vai trabalhar rapaz.

Mensagem de aniversário.

Uma amiga minha estava escrevendo um email para outra amiga com mensagem de felicitações pela passagem do aniversário.
Começou: Querida parabéns, que neste dia tenhas tudo de bom, e que Deus te ilumine te dê energia e muita saúde.
Quando estava concluindo o texto, lembrou que a aniversariante é atéia. Não sabia o que fazer. Pediu-me ajuda e eu só fiz remendar a mensagem.
Querida parabéns, que neste dia tenhas tudo de bom, e que a Celpa te ilumine te dê energia e a Unimed muita saúde.
Resolvido!

Deus me livre e guarde.

Todos vocês conhecem o apresentador do programa Comidas Exóticas, o Andrew Zimmern, que passa no canal fechado Discovery Travel & Living; eu até já falei dele aqui no blog (Uma questão de dente ou paladar?).

O cara come de tudo, é aquele ovo choco de pata do Camboja, é tubarão velho da Nova Zelândia, escorpião pobre e frito da Macedônia, cobra albina com 100 dias de morta do Gabão, baba de camelo demente com formiga vesga em Sudão, miolo de lontra loura da Albânia, peixe avariado com medusa estragada da Iemen e outras desgraças mais. Diante de tudo isso, rezo para nunca ver esse homem cagando, Deus me livre e guarde do fedor que deve ser. Também proibiria esse homem de fazer exame de fezes, vá empestar qualquer que seja o laboratório.