Músicas, Seriedades, Burridades e Coisas Ogonorantes.

Um blog para quem não tem nada para fazer. Para pessoas que vieram do nada e hoje não tem porra nenhuma.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Piada burra # 23

A múmia foge do museu e tenta se esconder em uma construção onde estavam dois operários. Um deles se vira e fala pro outro.
- Chegou o veda rosca.

Iniciação sexual.

Essa galera de hoje tem de tudo em matéria de sexo. Tem fotos a bangu na internet, filmes de sexo dos mais variados gêneros, revistas e principalmente parceiros em carne e osso, sem nenhum tipo de reprimenda familiar, e mesmo assim a masturbação não caiu em desuso. Na minha época de adolescente era muito mais difícil. Lembro que durante os recreios no colégio, colegas discursavam sobre experiências escabrosas em matéria de punheta. Lembro de um deles que dizia que uma punheta com creme dental Signal era uma coisa alucinante, entretanto as conseqüências não eram nada agradáveis, e que, portanto, não valia a pena aventurar. Dispor de fotos, filmes ou algo do gênero era algo dificílimo. Havia aquelas revistinhas com desenhos do Zéfiro, contudo eram caras e difíceis da achar, a saída era apelarmos para livros médicos de anatomia, onde aparecia metade da mulher com os aparelhos: respiratório, digestivo e urinário todos expostos, eram uma loucura o cara se masturbando olhando aquela folha de livro de uma mulher sem rosto, com: vesícula biliar, duodeno, bexiga, pâncreas, pulmões, rins, fígado, etc., tudo a mostra.
As namoradas eram vigiadas durante todo o horário de namoro, por: irmãos menores, irmãs, tias, mães ou babás, não havia brecha para uma saliência mais coxa-coxa, o muito que se conseguia era uma dedada e passar pelo menos umas 3 semanas sem lavar o dedo.
Sem grana para contratar uma prost, sem namorada e com a escassez de revistas, fotos e filmes, o jeito era apelarmos para nossas babás, que nem sempre eram receptivas a esses mimos. Lembro de um episódio onde eu e meus primos, com idades entre 14 a 16 anos, resolvemos flertar com uma empregada da casa do Paulo Góes, conhecida por Maria Babá, era um cabocão tipo um guarda roupa de 8 portas. Não sei se fui eu quem deu a primeira investida, mas recordo que a mulher colocou as palmas das mãos uma sobre a outra, fechou as duas mãos, soprou para encher de ar, e largou o “bacuri” na cabeça de quem estava por lá. Foi um porradau que o pau murchou na hora. O jeito foi socar a muriçoca.

Mais rápido.

Um menino foi pescar com seu pai, e depois de meia hora, ele volta com a cara toda inchada, chorando muito. Então sua mãe pergunta preocupada:
-Que foi que aconteceu meu filho?
-Foi uma abelha mãe...
-Ela te picou?
-Não deu tempo, porque o pai matou ela com o remo.

Cobertura da queda do prédio.

Um canal de TV local colocou um ogonorante para fazer a apresentação de um noticiário sobre a queda do prédio da 3 de maio, e conseguimos anotar algumas pérolas do moço, que se for graduado mesmo, gostaríamos de saber: em que faculdade, nome dos professores e do paraninfo. Vamos a elas.

1ª merda – O apresentador informa em uma de suas falas que: “todos os soterrados estão sobre os escombros, digo os entulhos estão sob os soterrados!”. Quem dera se fosse de jeito, não haveria vítimas.
2ª merda – Um repórter entra ao vivo do local dando notícias importantes sobre o acidente, quando uma das tomadas pega um cidadão com uma manga na mão. No mesmo instante, o ogonorante do apresentador interrompe o repórter e tasca: - “agora estamos na hora do almoço, chega um cidadão com uma manga na mão, que deve ter apanhado em alguma mangueira da área. Pergunta onde ele conseguiu a manga.” Certamente quem estava vendo o noticiário, como eu, não entendeu a razão da intromissão, como pode um abestalhado desses interromper algo mais importante, por conta de uma manga. Vai gostar de manga na casa do cacete!
3ª merda – Aparece uma cena ao vivo com pessoas carregando alguns pertences, panelas e sacolas de um supermercado com a logomarca da empresa. Diz o apresentador: - “ao que parece moradores das casas que foram evacuadas foram autorizados a retirar pertences importantes, como alimentos e compras de um famoso supermercado, anunciante importante de nosso grupo de comunicação.” Esse merchandising nem o dono do supermercado esperava.

Nana cantando de hoje a quarta.

Nos próximos 3 dias o som do blog vai de Nana Caymmi com o bolero “A Cara do Espelho”, composição de Guto Graça Mello e Nelson Motta. A música consta do disco de Nana, Resposta ao Tempo, gravado em 1998 (EMI).  

Tá explicado.

Desde criancinha que escuto que o município paraense onde a turma fala francês fluentemente é Cametá, ou seja, é um município internacional, vai ver que por isso o remo empatou por lá. Vale lembrar que a França já foi campeã mundial, e é só craque por lá. Por falar em Cametá e no idioma francês, lembro de uma história que um amigo meu contou, onde demonstra como os cametaenses têm no sangue a língua francesa. A turma daqui se preparou toda para assistir um jogo do Paysandu nas terras dos mapará. Foram de estrada, via alça viária, e levaram um isoporzão de latinhas de cervejas. As latinhas foram pegando aquele calorão na estrada, e chegaram lá meio quentes. Como a turma estava bacana essa questão da temperatura era o de menos. Já no estádio onde haveria o jogo, um dos conhecidos pegou uma latinha de cerveja e ao abri-la espirrou em todos que estavam próximos. Meu amigo olhou para o seu lado onde estava sentado um cametaense e perguntou:- Molhou amigo?
O cametaense se enxugando com um lenço respondeu: Não... ensupô! 

domingo, 30 de janeiro de 2011

Estórias do Zizi.

Para quem não conhece o Zizi Miranda é avô da nossa queridíssima Andréa Pinheiro, que canta como ninguém, afinadíssima e filha do dileto amigo Everaldo Pinheiro um craque do violão. O Zizi reside há muitos anos em Colares, município da região nordeste do Estado, e gosta de sentar nos barzinhos da cidade para uma boa cerveja, e jogar conversa fora juntamente com os nativos. Numa dessas prosas o Zizi conta que saiu para caçar nas matas de Colares, levou consigo sua espingarda de dois canos e somente dois cartuchos, pois como bom caçador era o suficiente para lhe garantir a caça. Entrou no mato, depois de 5 kilometros adentro, escuta o estalar de galhos secos quebrando, indicando a presença de animal grande. Passa a seguir o barulho pé ante pé, quando de repente percebe um vulto alguns metros a sua frente, não teve dúvidas deu o primeiro disparo, mas constatou que o animal ainda se mexia atrás da mata, foi na direção certa, quando vislumbra de forma nítida um tigre de bengala enorme que urrou alto, Zizi se assustou e a arma com a última munição disparou para cima. Notara também que errara o primeiro tiro, e agora se via acuado com aquele animal imenso a sua frente.
Nesse instante é interrompido por um dos presentes no bar que retruca: - Peraí Zizi, tigre de bengala em Colares, conta outra!
Calma gente, e continuou a narrativa: - Antevendo o pior, joguei a garrucha no chão, parti na direção do tigre, cheguei bem próximo a carona do animal, olhei diretamente para os olhos do felino, segurei com cada mão os pelos do bigode do bicho, sacudi a cabeça dele para um lado e para o outro, e bradei: - Tigre o que é que tu estás fazendo aqui em Colares seu filho duma égua?  O animal acabrunhado pegou sua bengala e saiu manquitolando de volta para seu habitat.

O Gaudério e o capeta.

Estava o Gaudério em sua estância trabalhando, quando olhou para o relógio e exclamou assustado: - Alapuxa tchê! Tô mais atrasado que tartaruga em desfile de lebre! O fandango começa daqui a pouco, tchê!!
Apressadíssimo, o gaúcho correu para a casa e no caminho falou pro guri que trabalhava na fazenda:- Piá! Encilha ligeiro um cavalo dos bons pra mim que eu tô loco de atrasado pro baile!
E o menino fez o que o Gaudério mandou. O gaúcho montou e se mandou correndo para chegar em tempo no baile. No caminho resolveu pegar um atalho que, diziam, tinha assombração. Mesmo assim ele não quis saber. 
De repente, no meio do mato, surgiu o diabo, o capeta em pessoa. 
O Gaudério, mais branco que lenço de padre, se cagou todo:
- Coisa ruim! Por favor, não me mate, tchê!
- Calma gaúcho! - respondeu o belzebu. Pelo contrário, vou te conceder três pedidos. Peça o que quiseres!
- Ah, é assim? Pois então: quero ter um rosto de galã de cinema, que a minha guaiaca fique cheia de dinheiro e um órgão sexual igual ao deste animal que estou montando!
- Pode ir pro baile - disse o demo - vou te atender os desejos.
E o Gaudério chegou ao fandango, atiçado e foi logo pro banheiro conferir o resultado dos pedidos. Primeiro olhou no espelho e tava com o rosto do Tom Cruise. Depois abriu a guaiaca e era dinheiro que não cabia mais.
Finalmente baixou a bombacha pra conferir o terceiro pedido:
- Piá de merda me encilhou a égua!!!!

Piada burra # 22

O urso negro entra na padaria e pede.
- Me dá um litro de leite e um babador.
- Já sei, o senhor também...
- É, odeio panda.
P.S. – Tanto o urso polar como o urso negro têm verdadeira inveja do panda, que é o único urso que fala chinês. O panda não toma sorvetes de açaí e nem leite, só come brotos de bambu, sem babador, porém não gosta muito de ursinhos de pelúcias pois é alérgico.

Causo de artistas # 6.

Aracy de Almeida foi uma de suas grandes amigas. Sabia tudo sobre Antônio Maria e, mesmo assim, como dizia brincando, continuava a gostar dele. Era desprovido de qualquer cerimônia: uma vez pediu a ela ajuda para colocar um supositório ("Já tentei todas as posições e não consegui nada."). Em outra oportunidade, ele e Vinícius de Morais, também seu grande amigo, tentavam cumprir um compromisso assumido: fazer um jingle para o lançamento de um regulador feminino. Estavam com inúmeros outros trabalhos e foram pedir ajuda a Aracy. Ela, sem pensar muito, tomando emprestada a melodia de Noel, atacou de pronto: "— O ovário vem caindo...". Carlos Heitor Cony dizia que se o autor fosse mandado para cobrir a posse do papa, voltaria cardeal.

sábado, 29 de janeiro de 2011

O parto do pecado.

Não foi assim tão fácil como dizem!
No início, Eva não queria comer a fruta.
- Come – disse a serpente astuta - e serás como os anjos!
- Não - respondeu Eva. Virando a cara para o lado!
- Terás o conhecimento do Bem e do Mal - insistiu a víbora.
- Cruzou os braços, olhou bem na cara da serpente e respondeu firme: Não!
- Serás imortal.
- Não! Já disse!
- Serás como Deus!
- NÃO, e NÃO! Já disse que NÃO!
Irritadíssima, quase enfiando a fruta goela abaixo, a serpente já estava
desesperada e não sabia mais o que fazer para que aquela mulher, de
princípios tão rígidos e personalidade tão forte comesse a fruta. Até que
teve uma idéia, já que nenhum dos argumentos haviam funcionado.
Ofereceu novamente a fruta e disse com um sorrisinho maroto:
- Come, sua boba, emagrece!
*Foi tiro e queda!!!!

Traficante paraguaio.

Esse caso aconteceu em Brasília no início dos anos 1990. Um viciado foi à polícia federal e denunciou o traficante onde ele comprava cocaína. Segundo o viciado, o traficante vendeu pra ele cerca de 200 gramas de bicarbonato em pó, ao invés de cocaína. A polícia montou operação para prender o traficante, e assim procedeu logo no dia seguinte ao da queixa.
Durante o depoimento o delegado que abriu o inquérito questionou o traficante: - Meu amigo, como é que você vende bicarbonato como sendo cocaína para seus clientes, você poderia matar um deles caso injetassem isso na veia. Amigo você está falsificando droga, e cometendo crime de tentativa de assassinato.
Responde o traficante: - Ô gente boa, como assim droga falsa? Tentativa de assassinato? Irmãozinho, já vendi muito estrume de vaca como maconha e ninguém morreu e nem reclamou.

Fidel não morreu.

Fidel está fazendo um dos seus famosos discursos na Praça da Revolução:
- E a partir de agora temos de fazer mais sacrifícios! -
Ouve-se uma voz na multidão:
- Trabalharemos o dobro! -
O Comandante continua:
- E temos de entender que haverá menos alimentos! -
A mesma voz:
- Trabalharemos o triplo!
- Fidel prossegue:
- E as dificuldades vão aumentar!
- Trabalharemos o quádruplo!
Fidel vira-se para o chefe da segurança e pergunta:
- Quem é esse idiota que vai trabalhar tanto?
- O coveiro, meu comandante.

Piada burra # 21

Uma ceguinha fala para outra.
- Estou cansada e com sono, não quero mais brincar de cabra cega.

Minha musa

Vocês devem ter reparado que nessas 2 últimas semanas as postagens do blog eram feitas na madrugada, tudo por conta desse torneio de tênis na Austrália, que só começa às 22 horas e vara a madrugada. Deus me livre e guarde é só beldade que passa por lá. A minha musa preferida, que infelizmente perdeu na 2ª rodada, é a tenista holandesa Arantxa Rus, de 21 anos e 139ª colocada no ranking da ATP.

A escolha foi duríssima, pois já pensou deixar de fora: Ana Ivanovic, Sorana Cirstea, Maria Sharapova, Caroline Wozniacki, Maria Kirilenko e por aí vai. E olha que com essas meninas não adianta ganhar na mega-sena, são todas cheias do boró. O jeito é comprar a revista ou ver na TV.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Reclamação infundada.

Os nomes dos personagens desta história vão ser omitidos por razões humanitárias.
Em um bar café chique da cidade chega o cliente, se ameseda e chama o garçom: - Amigo me trás aquela garrafa de uísque que comprei na semana passada. O garçom depois de alguns instantes chega com a garrafa do cliente, com pouco menos de 2 dedos de uísque. O cliente olha e esbraveja: - Essa não é a minha garrafa, a minha bebi somente umas 2 doses, não é possível, chama o dono, alguém mexeu no meu uísque, estão me roubando. Chama o dono, ou o gerente.
O garçom nervoso foi chamar o dono do bar que passivamente chega à mesa do cliente insatisfeito e pergunta: - O que está havendo?
O cliente relata novamente seu problema, já de forma incisiva, esperando que o dono, que era seu amigo, contornasse a situação.
O dono se vira para o cliente e fala: - Meu amigo lembras daquela cena da maratonista sueca nas olimpíadas de Sydney, chegando para completar a prova.
Diz o cliente: - Claro que lembro, ela chegando toda descangotada, toda despirocada, parecia uma orangotanga balada.
- Pois é, foi assim que saíste daqui no dia que compraste a garrafa de uísque, e que queres que esteja cheia, impossível.



Piada burra # 20

O urso polar entra na Cairu e pede:
- Me dá um sorvete de açaí e um babador.
- Mas pra quê o babador?
- Odeio panda!

Deu na internet # 7 – Burra virgem.


Nessa o Deca Batalhão se deu mal. Também foi escolher logo atrás da igreja para ferrar a burra mimosa. Conseguimos apurar que a burra além de virgem é devota de Santo Expedito, o protetor das causas impossíveis. Na hora que o Deca escalou a bicha, a burra clamou aos céus: - Ajuda Expedito! O santo só fez ajudar na força do coice. Foi pelo meio dos bagos e o Batalhão caiu estirado morto, porém de pau duro. A burra olhou pro lado, olhou pro outro, sentou no pau do Decão se satisfez, esperou a galera chegar e se fingiu de sonsa virgem.

Fórmula natural para emagrecer.

Meu amigo Camilo Delduque me mandou um filminho onde aparece um cidadão viciado em vinho, cachaça, cerveja, uísque e cigarros. Apesar de tudo isso, olhando a fisionomia do rapaz para a idade que aparenta ter, parece conservado. Esclareceu que isso se deve ao seu corpo eclético, fruto da fórmula: genética, anatômica e biológica para emagrecer. E por fim contou o segredo: comer menos e cagar muito. Receita simples e econômica. Para aqueles que não conseguem comer menos, sugerimos passar o dia cagando.

O que leva a pressa!!!!!

Um fotógrafo daquele famoso jornal precisava fazer um serviço urgente:
fotografar uma gigantesca queimada em uma reserva florestal. Depois de chegar ao aeroporto, ele pede o aluguel de um pequeno avião e corre pra pista. Lá ele encontra o piloto com o motor ligado, entra no avião e grita:
- Vamos!
O piloto taxia pela pista e decola. Em pleno vôo, o fotógrafo diz:
- Você está vendo aquela fumaça lá na frente? Quero que você chegue o mais próximo que puder!
- Mas por quê? - pergunta o piloto.
- Ué, pra tirar minhas fotos! Eu sou fotógrafo!!!
O piloto fica alguns segundos em silêncio e diz: - Deixa de brincadeira, vai? Fala logo que você é o meu professor de pilotagem!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Piada burra # 19

O camelo chega na banca de tacacá da D. Odete e pede:
- Quero um tacacá sem pimenta e sem tucupi.
- Ô corcunda, sem pimenta e tucupi não tem graça.
- Não tem graça pra senhora, que nunca teve uma azia do tamanho da minha.

Todo bêbado sabe o rumo de casa.

Todos devem conhecer aqueles sobrados antigos, geminados, edificados na Av. Governador José Malcher, entre Quintino Bocaiúva e Rui Barbosa. Lá pelos idos de 1970 o Rui Cabeça morou em duas dessas casas, primeiramente morou na penúltima residência, considerando que a primeira delas fica na esquina na Tv. Rui Barbosa. Em seguida passou a morar na última casa.
Pois bem, na ocasião o pai do Paulo cocô era Diretor do Detran, cuja fiscalização, blitz, etc., era de competência do Batran. Por conta disso o Paulo adorava andar nos carros do Detran cercado de guardas por todos os lados, dava status para o “cocô”.
Numa madrugada o Paulo estava a rondar a cidade em uma das viaturas do Detran, e ao passar pelo Bar do Parque, constata que o nosso amigo Rui Cabeça estava desbundado sobre uma mesa completamente embriagado.
O Paulo preocupado ordenou que os guardas do Batran pegassem o Rui, colocassem no carro para levá-lo até sua residência. Pegaram o Rui com aquela delicadeza e colocaram no veículo e zarparam na direção da casa do Rui.
Chegando lá o Paulo mais uma vez deu ordens para os guardas colocarem o Rui para dentro de casa, indicando a penúltima casa. Dois guardas pegaram o Rui pelos braços e foram na direção da casa indicada, o Rui abriu os olhos e como todo bom bêbado que sabe o caminho de casa bradou: - EU NÃO MORO MAIS AÍ! Os guardas pararam e olharam para o Paulo, que contra atacou de lá: - Mora sim, ele está bêbado, põe o homem para dentro.
O Rui se segurou nos portões de ferro da casa, e os guardas começaram a empurrar o Rui pra dentro, e ele bradava: - EU NÃO MORO MAIS AÍ, PORRA!
Os guardas pediram reforços para o carro: - Paulo manda mais reforços, o homem não quer entrar de modo algum.
O Rui seguro nos portões continuava a gritar: - EU NÃO MORO MAIS AÍ, PORRA!
O Paulo cocô falava de lá: - Mora sim, ele está bêbado, empurra esse puto mal agradecido.
E os guardas: - Manda reforços seu “torete”.
Nessa agonia o pai do Rui aparece na janela do andar superior da casa ao lado (a última): - Que gritaria é essa aí, vou mandar prender todos vocês.
O Rui se vira pro Paulo: - Não te disse filho duma égua, tá ali o papai, agora estou morando na casa ao lado.
O Paulo deu a ordem final: Toque de retirada, deixa o homem aí. O Rui se livrou do Paulo cocô e tentou entrar na casa certa, porém havia esquecido as chaves. Olha para a janela onde estava o pai dele e pede: - Pai me jogue as chaves para eu entrar.
O pai do Rui rebate de lá: - Só te mando se fizeres um quatro.
O Rui se aprumou, olhou pra cima, levantou o braço e mostrou a mão com quatro dedos (a la Lula).
O pai não tinha outra solução a não ser de jogar as chaves.

Parteira se defende.

A parteira mão de louça, que está sendo acusada de quebrar o pescoço da criança no parto (matéria de ontem do blog), se defende, diz que já realiza partos há mais de 40 anos. Para tal invocou o testemunho de seu primeiro trabalho, entretanto a polícia está com dificuldades de conseguir que o homem compareça ao tribunal para testemunhar, pois até hoje tem sinais visíveis da delicadeza da parteira, e tem um pavor da mesma.

Negociação

Três argentinos de Corrientes e um gaúcho de Bagé, mateando e fumando:
1º argentino: - Eu tenho muito dinheiro; muito mesmo... Vou comprar o Citibank!!!
2º argentino: - Eu sou rico; muito rico... Comprarei a General Motors!!!
3º argentino: - Eu sou um magnata... Vou comprar a Microsoft!!!
E os três ficam esperando o que o gaúcho vai falar.
O gaúcho dá mais uma tragada, ajeita a bomba do mate na cuia do chimarrão...Toma um golito...Faz uma pausa...E diz: - Não vendo!!!

Tudo pelo Socialite – 7

Está em Belém para fazer, dependendo de seu estado, 1 ou 10 palestras de combate ao alcoolismo a queridíssima Dra. Rama, que vai provar que álcool, sexo e rock roll nada tem a ver com o mundo mágico de Beto Carrero. 

Ctrl C + Ctrl V.

Um jovem noviço chegou ao monastério e lhe deram a tarefa de ajudar
os outros monges a transcrever os antigos cânones e regras da Igreja.
Ele se surpreendeu ao ver que os monges faziam seu trabalho a partir
de cópias e não dos manuscritos originais.
Foi falar com o abade e explicou que, se alguém cometesse um erro
na primeira cópia, esse erro se propagaria em todas as cópias posteriores.
O abade lhe respondeu que há séculos copiavam da cópia anterior, mas
que achava bem procedente a observação do noviço.
Na manhã seguinte, o abade desceu até as profundezas da caverna no porão do monastério, onde eram conservados os manuscritos e pergaminhos originais, intocados há muitos séculos.
Passou-se a manhã, a tarde e depois a noite, sem que o abade desse sinal de vida. Preocupado, o jovem noviço decidiu descer e ver o que estava
acontecendo. Encontrou o abade completamente descontrolado, com as vestes rasgadas, batendo a cabeça ensangüentada nos veneráveis muros do monastério.
Espantado, o jovem monge perguntou:
- Abade, o que aconteceu?
- Aaaaaaaahhhhhhhhhh!!! CARIDADE...CARIDADE!!! Eram votos de "CARIDADE" que tínhamos que fazer.... Não de "CASTIDADE"!!!

P.S - Contribuição do Camureba.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Piada burra # 18

Carla Peres encontra um jogador de boliche com uma sacola de bola em cada mão e pergunta.
- Amigo o que tem aí nessas sacolas?
- São minhas bolas.
- Poxa, se as bolas são desse tamanho, imagina o culhão.

Referência nacional.

Por conta da notícia que saiu no jornal de ontem, o blog já encaminhou ofício pra o Ministério da Saúde, pedindo que o município passe a ser Centro de Referência Nacional de Partos de Girafas. Afora isso, conseguimos em primeira mão algumas informações sobre a parteira. Segue o míni currículo: É conhecida no meio científico como “mão de louça”; quando criança limpava como ninguém as taças de cristais da família, foi mais de 10 vezes campeã mundial de vareta e tem relevantes serviços prestados para as forças armadas desmontando granadas e transportando nitroglicerina, em suma é uma delicadeza sem igual.

Deu na Internet # 6 – Toma enjoado.


Já há orientações do corpo de bombeiro da cidade para a mulherada não negar de modo algum, pois se a moda pega, vai ser uma Roma de Nero.

Sinal de alerta.

A demissão do Secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Pedro Abramovay, contrário ao endurecimento do Governo com o tráfico de drogas, soou como sinal de alerta na Prefeitura de Belém. Com o Secretário no cargo o motorista do Dudu podia trafegá-lo pra cima e pra baixo. Agora sem o Secretário para acobertá-lo pode ir preso a qualquer momento, pois como todos estão carecas de saber: transportar droga é crime.

Novo piano.

Confirmamos a informação de que meu queridíssimo amigo Aurélio Meira comprou um piano estalando de novo. Aurélio como todos sabem é um Pelé na arquitetura, dizem que um pouquinho pior que o Nadal no tênis e agora com esse piano, certamente Belém vai passar a ter o seu Aurélio Mereira Lima.

Marcão

Esta é a história de um caminhoneiro que viajava por todo Brasil e seu lema era: "MEU NOME É MARCÃO, SOU DO MARANHÃO, GOSTOSÃO, ENTROU NO MEU CAMINHÃO, NÃO TEM PERDÃO!"
Já estava dois meses dirigindo pelas estradas em jejum, não conseguia pegar nenhuma mulher. Eis que, de repente, ele vê à sua frente uma freira, novinha, bonitinha, pedindo carona. 
Ele pensa: - Que Deus me perdoe!!! 
Parou o caminhão e a freira subiu.
- Bom dia, meu filho! Você poderia me levar a cidade mais próxima?
- Bom dia, dona freira! Claro, mas tem um pequeno problema: "MEU NOME É MARCÃO, SOU DO MARANHÃO, GOSTOSÃO, ENTROU NO MEU CAMINHÃO, NÃO TEM PERDÃO!" 
- Calma, meu filho! Aqui na frente está reservado para Deus, porém, atrás está livre. Não deu outra. Marcão mandou ver na freirinha. Dirigindo pela estrada, Marcão ficou pensando na besteira que tinha feito, quando ela diz:
- Meu filho, pode parar que eu vou descer aqui nesta fazenda.
Marcão respondeu:
- Dona freira, desculpe pelo que fiz com a senhora, que Deus me perdoe, mas a senhora sabe como é ficar solitário muito tempo.
Respondeu a freira:- Não tem problema, Deus vai te perdoar, porque: "MEU NOME É AMARAL, SOU DE NATAL, HOMOSSEXUAL E ESTA É A MINHA FANTASIA DE CARNAVAL!!!"

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Campanha pela Benjamin limpa.

Ontem alertei nas entre linhas que a minha querida Benjamin vive Constant’emente cheia de merda de cachorro pelas calçadas. São os bichinhos que residem nos prédios que lá estão. Como o imundo do Dudu não recolhe lixo algum, e esses donos de cachorros também não colaboram, vou iniciar uma campanha educativa, afixando cartazes nos postes dizendo: Senhor cidadão coloque seu cão para cagar na sua mão. Pode ser que assim a coisa melhore. Cadê a carrocinha...

Aniversário do Tom.

Nesta data em 1927 nascia, no Rio de Janeiro, Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, aquele que pra mim é o maior músico que o mundo já teve oportunidade de ouvir. Hoje não há lugar no mundo onde suas músicas não são tocadas. Em qualquer site da internet de música decente o nome do Jobim está presente, e pouquíssimos são os músicos de: mpb, jazz, clássico e mesmo de rock que não gravaram ou tocaram uma composição jobiniana. Não há estatísticas para comprovar, mas certamente Jobim é um dos músicos mais executados no mundo. Infelizmente em 8 de dezembro de 1994 o Tom nos deixou em pessoa, mas sua música com toda convicção será eterna. Nesta data há 4 anos atrás o Tom mandou buscar o Paulo César Condurú Fernandes, meu primo, para abrilhantar com seu riso cativante a sua festa de aniversário.

Deu na internet # 5 – A vagina assaltante.


A lunfa trabalha sob encomenda, o cliente diz o que quer, ela entra nas lojas e faz o serviço. Chateado ficou foi o Sr. Tristão dos Remédios, segundo ele o próximo roubo que a lunfa faria antes de ser presa seria seu. Perguntado qual teria sido a encomenda ele respondeu: - Uma TV de plasma de 50 polegadas.

Piada burra # 17

O tarado invade a Vila Olímpica onde estavam os atletas paraolímpicos, entra no quarto de uma atleta perneta e ordena:
- Tem põem de 3 aí, que lá vai chumbo!

Ouça, leia, inspire e expire “Chovendo na Roseira”.

De hoje até domingo o blog vai homenagear Tom Jobim, na semana de seu aniversário. A música é “Chovendo na Roseira”, também conhecida como Double Rainbow ou Chidre’s Games. A gravação é das sensacionais cantoras de jazz mexicanas: Magos Herrera e Iraida Noriega e trio, disco Soliluna de 2006 (Na faixa há música incidental de um folclore mexicano). Leia abaixo um texto abstraído do blog Vozes Contemporâneas, que conta um pouco da história de Chovendo na Roseira. 
“No ano de 1967, Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim criava uma de suas mais importantes obras, a valsa “Children’s Games”. Composição brilhante do início ao fim, que conta na sua primeira gravação com arranjos incríveis de Eumir Deodato e a participação do músico Joe Farrell. Cada minucioso detalhe desta canção foi elaborado com primor, desde o andamento, em compasso ternário, à melodia envolvente do piano do maestro.
 Em meio a tantas incríveis canções de Tom Jobim, esta se destaca por seu planejamento meticuloso e caprichoso, como todo bom mestre assim faz. Ao ouvir esta canção, é possível enxergar como ela foi escrita, concebida, sendo escrita com esmero, repensada e concluída com perfeição.
Obra elaborada que, no decorrer de sua execução, ganha vida, cor e movimento. A composição instrumental, sem auxílio de palavras, leva o ouvinte a um cenário, cria personagens, seguindo um enredo com começo, meio e fim. Coisas que só a gênios cabe fazer.
Sete anos depois, a música instrumental “Children’s Games” é batizada como “Chovendo na Roseira”, aquela que era uma canção extraordinária, surpreendentemente, se supera ao receber letra e uma voz, a voz de Elis Regina.
Tema delicado e complexo é trazer o encontro perfeito da melodias e letra, mas quando se fala de Tom Jobim, se fala de excelência. “Chovendo na Roseira” é um exemplo raro em que essa união foi perfeita. Não haveria melhor letra para tal melodia, nem melodia melhor para tal letra.
Na música a união foi perfeita, mas fora dela nem tanto. A gravação do disco Elis & Tom, que levou a canção “Chovendo na Roseira”, foi conturbada do início ao fim. Tom demorou a aceitar o uso do piano elétrico, que era um desejo de Elis e de César Camargo Mariano, pianista, arranjador e marido de Elis. Aliás, outro contragosto do Tom era ter César como arranjador do disco, ele preferia e insistiu para que seu amigo Claus Ogerman fizesse os arranjos, mas acabou ficando nas mãos do virtuoso César.
Quando as gravações tiveram início, as diferenças e conflitos acabaram, claro que com muita cobrança de Tom sobre os arranjos de César. O resultado dessa história foi à épica versão de “Chovendo na Roseira”, que manteve a base primordial instrumental de “Children’s Games” com a voz indescritível de Elis Regina, que faz com que a música cresça, ganhe presença, com muita graça e sutileza. O disco em si virou uma obra antológica da música brasileira.
Tom era maestro soberano, batizado assim por Chico, mas nem tudo de sua obra foi memorável.  Em 1981, gravou o disco Edu & Tom e regravou a canção “Chovendo na Roseira”. A nova versão de “Chovendo na Roseira”, não manteve o sucesso das versões anteriores. O volume da voz de Edu Lobo estava muito acima do instrumental que é o ponto forte desta composição. Além do que a voz de Edu não tinha a versatilidade e riqueza que possuía Elis, mas Tom é mestre, é soberano e “Chovendo na Roseira” merece ser ouvida, revisitada, estudada e admirada, em todas suas versões existentes.”

E.T. – Em tempo de tragédias advindas das chuvas que castigam o Brasil, é preciso compreender a chuva da forma como Jobim sempre entendeu, pois sem chuvas jamais teremos roseiras.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Nosso herói.

Hoje é o aniversário do Dr. Paulo Mazzini que em matéria de psiquiatria é um craque. O Paulo é um dileto amigo de vários anos, que se tornou parente pelos laços fraternos e queridos de sua convivência cotidiana com meus familiares. Foi por vários anos o irmão gêmeo do meu primo Paulo César, um grande amigo de meu Pai, foi sócio fundador e participante cativo dos saraus musicais de minha casa. Hoje é meu amigo-irmão de cabeceira, vez por outra um pai que puxa minhas orelhas e manda o ralho das minhas besteiradas. O Paulinho, como é conhecido entre os amigos, tem outros predicados, é um bom cantor, é tocador de violão de boa música, tem uma excelente cultura, um ótimo papo, tem um coração do tamanho do mundo e já foi super-herói. Quem conhece o Paulinho de priscas eras, vai lembrar que o Paulo foi por algum tempo o nosso Patrulheiro Toddy, ganhou até o apelido de Paulo Patrulheiro. Naquela época não tínhamos assalto no Reduto, e nem tampouco cachorros infestando a querida Benjamin Constant’emente cheio de merda nos dias atuais. Havia lei e o Paulo fazia valer essa máxima. Mas tarde me passou esse posto, pois eu mesmo graças a minha madrinha Lúcia, acabei também por ganhar a tal farda de patrulheiro, e passei a seguir a risca os ensinamentos do Paulinho. Hoje os Patrulheiros Toddy’s ficaram esquecidos no tempo, contudo o nosso Paulo Mazzini permanece perene em nossos corações.
P.S. – O programa se chamava Patrulheiros do Oeste e era transmitido no Brasil pela extinta TV Tupi, sob o patrocínio do achocolotado Toddy. Você concorria ao sorteio de uniformes completos dos patrulheiros a partir do envio de rótulos de Toddy, aqui em Belém, para a também extinta TV Marajoara.

Mais uma do Paulinho.

O Paulinho como disse é admirado por todos, e também admira muita gente. No ano passado era um sábado e saímos da Sol para o Doca Reduto, o restaurante do meu amigo Orly. Lá estava a Fafá de Belém, e de brincadeira disse a ela que um fã seu de carteirinha daria tudo para ter uma foto ao lado da cantora. Ela topou e coloquei o Paulinho nessa enrascada, ele sequer sabia, porém me confidenciou depois que havia amado a brincadeira. Assim sendo, não se pode duvidar, o Paulinho é tietão da Fafá de Belém.

Piada burra # 16.

O bêbado olhou pro cara de cima a baixo e tascou.
- Ei meu, só vitiligo, quer ser Mike Jackson né bonitão?
- Meu amigo eu sou albino.

Ocupação para Ana.


O pior que é verdade, a Ana deixou um rombo robusto no Estado, além de ter administrado o Pará a “la casa da mãe Joana”. Dito isto é uma temeridade botar essa moça para tomar conta do Basa, eu se fosse a Dilma colocava ela de castigo contando árvores, ver se de fato plantou um bilhão como prometera. Caso falte umazinha sequer, dá uma pá e um ancinho pra ela, tem que plantar, pode ser de abiu, para nunca mais dizer mentiras por aí. 

11 de Agosto.

O sujeito entra num restaurante escoltado por um Pittbull, senta-se e pergunta para o garçom: 
- Vocês servem advogados aqui? 
- Mas claro, meu senhor, servimos até no dia do pendura. - responde o garçom, desdobrando-se em gentilezas. 
- Então traz um spaghetti ao sugo pra mim e um advogado para o meu cachorro!

De 4 uma.

Não pode ser! Nem um cara no deserto morrendo de sede conseguiria ver miragem igual a essa.  Só pode ser pai; se não for é milionário; se não for é apalavrada e se não for também, é com toda certeza fotoshop. Só pode ser.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Depil Soft.

Algumas vezes nossas farras dos sábados acabam no Bar do Peixe, ou Cú Sujo para os íntimos (aquele em frente à casa do pintinho). A diversão por lá é beber, comer pimenta com peixe e ficar olhando a turma que freqüenta o Depil Soft, que fica quase em frente. É um sucesso doido dar uma aparada na aranha, nos bigodes, nos buços, nas virilhas, em tudo que tem pelo. Até a macharada mais nova pinta por lá. Sobre a Depil Soft surgem as mais variadas estórias, uma delas reza que em Curuçá abriu uma franquia da Depil Soft, depois de alguns meses quase que a bicha fecha, não aparecia uma viva alma. Aí chegaram a conclusão que o problema era o nome do negócio que estava todo em inglês. Chamaram um tradutor que resolveu a parada, agora é gente varando pelo ladrão, nos fundos do comércio se enxerga montanhas enormes de pentelhos. É um sucesso, botaram um letreiro grande de neon com o nome em português “Xiri de Programa”.

P.S. – Etâ sô, o blog hoje é só aranha.

Terapia de grupo

Quatro pacientes estão reunidos com o terapeuta. E este pede que se apresentem, digam as suas atividades e comentem porque a exercem.
O primeiro diz: - Sou Francisco, médico, porque me agrada tratar da saúde e cuidar de pessoas.
O segundo se apresenta: - Me chamo Angelo, arquiteto, sou preocupado com a qualidade de vida e como vivem as pessoas.
A terceira fala: - Meu nome é Maria. Sou lésbica e assim adoro peitos e bundas femininas, fico louca só de pensar em fazer sexo com mulheres.
O quarto, um mineirinho, diz: - Sô Tunico, e inté gorinha achava qui era pedrêro, mais cabei de discubrí qui sô é lésbico.

Piada burra # 16

A lésbica se encontra com o lobo mau na floresta e pergunta.
- Você sabe onde mora a chapeuzinho vermelho?
- Ah! Só te digo se você me disser pra quê serve essa língua tão grande?

Gordo ecologia.

Não sei a razão, porém todo(a) gordo(a) é muito discriminado. Dizem que são anti-ecológicos, pois além dos gases que saltam, exigem montanhas e montanhas de comidas, que por sua vez requer: mais gados, pastos, frutas, legumes, terras, árvores derrubadas, carnes defumadas, fumaça, poluição. Em suma gordo(a) é um transtorno para o meio ambiente. Só que ninguém percebe que gordo(a) pode ser útil, como por exemplo esse casal(zão) aí da foto. Já pensou o que representa a economia de 1 pneu de trator, menos borracha, menos árvores sacrificadas, menos petróleo, menos escavações, menos buracos e desastres ambientais, em suma gordo(a) é um amor por natureza.

Substituição.

Essa é antiga, porém ótima. Na mudança de governo passado, o chefe do cerimonial que fazia a transmissão de posse do cargo de Secretário de Cultura do Estado, saída do Paulo Chaves, para a investidura do Edilson Moura (até gosto dele) tascou nos microfones: - Sai Ronaldinho Gaúcho entra Landu.

Reflete...

Dois caipiras pescadores estão à beira do rio bebendo uma cachaça, observando com atenção a bóia, quando um deles diz:
- Cumpadi, eu acho que vou me separar da minha muié, já faz três meses que ela não fala comigo!
O outro, após refletir uns momentos, diz:
- Pensa bem Cumpadi, hoje em dia é muito difícil encontrar uma muié assim!!!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Não se assuste Belém.

Não há razões para se assustar com os vôos rasantes que os aviões estão dando em Belém. Isso foi obra do Condureba para mostrar ao mundo o imundo do Dudu. De pertinho dá para ver a sujeirada toda que esse cidadão deixa espalhada pela cidade.Vai trabalhar rapaz!

Careca de saber.

Um dos melhores e mais luxuosos salões de beleza de Nova Iorque o J.Sisters pertence a brasileira Janea Padilha que se intitula a criadora da depilação feminina. Embora sendo brasileira, o que já seria um orgulho para todos da nação, eu discordo frontalmente dessa moça. Pra mim quem inventou a depilação da aranha foi a Suzi ou a Barbie. Pois ambas estão com mais de 50 anos e sempre se apresentaram ao mundo carequinhas.

Esse é nosso.

Nessa onda de criador falam que o inventor do skate foi o Bustos, aquele homenzinho sem pernas e braços que ficava na Presidente Vargas, em frente à Caixa Econômica. Ao ler esse treco vocês vão dizer que não há graça nenhuma nisso, pois coitado do homem, só porque ele era aleijadinho estamos fazendo pilhéria com ele. Saibam vocês que ele era normal, e tudo começou com uma promessa que ele fez de acompanhar o Círio de joelhos. Embora tenha conseguido seu intento perdeu as pernas nesse ato de fé. Aí vocês me perguntariam e os braços? Ora gente, sem as pernas, os braços passaram a se arrastar no chão e também foram perdidos pelo mesmo motivo, foram ralando, ralando, sumindo, sumindo, daí passaram a chamar o homem de Bustos. E como se movimentar era aquela dificuldade danada, não teve jeito botou a cachola para funcionar e criou o skate. Quanta maldade!

Troncho de saudade.

Gente eu ando com uma saudade imensa da D.Marisa. Aquela carinha meiga, com seus discursos acalorados. Os modelitos underground’s. O cartão de crédito corporativo. As condecorações que ganhou. O trabalho incansável de primeira dama. Ah! Dilma arruma uma urgente, pois sem primeira dama não somos nada.

Cê que sabe!!!

O compadre e a cumadre põem o cavalo e a égua para cruzar, eles soltam no pasto e os dois começam a cruzar.
o compadre todo assanhadinho olha para o cavalo e pra comadre, pro cavalo e pra comadre e fala:
- Ô comadre oiando o cavalo, tá dando uma vontade, que que se acha? 
A comadre responde:
- Não sei compadre, cê que sabe o cu é seu.

Essa moda pega.

Ai, ai, ai, ai...o atual goleiro do flamengo Felipe (ex-timão), acaba de comprar uns rottweilers.  

Falta de fé?

Esse aí até que tentou se precaver divinamente das chuvas, mas é tanto problema no Brasil que não há santo desocupado. Ufa! o blog hoje está só desgraça.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Point ou pontos.

Meados dos anos 70 um dos points da moçada era ir aos sábados de carro para a Praça da Mercês ficar paquerando a mulherada que ia para o comércio, e trafegava entre a Santo Antônio e a João Alfredo. Era o máximo. Pois bem, meu amigo Pixula comprou um Chevette desses incrementados, com rodão, calotas cheias de firulas, rebaixado, um cão de carro. Contudo já bastante rodado e com excesso de massa na lataria, nada que se percebesse rapidamente; e não seria essa besteira que iria empatar a paquera do Pixula.
O homem estaciona o carrão na Frutuoso bem na confluência da João Alfredo com a Santo Antônio, no meião da passagem das meninas. Abre a porta do carro do lado do motorista, se escora nela, coloca um óculos escuros ray-ban e tasca olhares penetrantes em todas as direções. Numa dessas fisga um peixe bacana. A mina se aproxima e papo vai, papo vem, o amor se apodera dos dois. Só havia uma alternativa, colocar a mina no carro e zarpar para Mosqueiro, Salinas, uma praia qualquer, tomar umas e outras, beijar muito, namorar, e quem sabe amar ou fuder mesmo.
Aí o Pixula pega a menina pelo braço, como todo bom cavalheiro, e se dirige para a porta do passageiro para acomodá-la no carro, nisso que abre a porta, a mesma se destrambelha do veículo e cai sobre o pé da moça. Meu Deus foi um corte feio que resultou em 42 pontos. É o que dá comprar carro velho, você acha que vai fazer point, quando na verdade vai acabar em pontos, no pronto socorro ou na carteira de habilitação.
P.S. – Para as interesseiras que só namoram meninos de carro, vai o conselho do blog: é melhor um sem carro do que um com carro velho.

Piada burra # 15.

O sujeito vai ao hospital, caindo de bêbado. Durante a consulta, vêm as
perguntas de praxe:
- Nome?
- Juvenal dos Santos!
- Idade?
- 32 anos.
- O senhor bebe?
- Vou aceitar um gole, mas só pra te acompanhar!

Olfato.

Um brasileiro e um argentino entram na mesma barbearia. Lá sentados lado a lado, não se falou palavra alguma. Os barbeiros temiam iniciar qualquer conversa, pois poderia descambar para discussão.
Terminaram a barba de seus clientes mais ou menos ao mesmo tempo. O barbeiro que tinha o argentino em sua cadeira estendeu o braço para pegar a loção pós-barba, no que foi interrompido rapidamente por seu cliente:
- Não, obrigado, a minha esposa vai sentir o cheiro e pensar que eu estava num puteiro.
O outro barbeiro virou-se para o brasileiro:
- E o senhor? - indagou.
E o brasileiro respondeu:
- Vá em frente! A minha mulher não sabe como é o cheiro de puteiro.

E.T. - Contribuição do Tonico.

Deu na internet # 4.

Sugerimos a mãe da Kesha comprar somente 1 rolo do papel higiênico PACU feito em Cuba, aí eu quero ver se ela vai continuar com esse vício, pois esse PACU como diz a Kelly: é um orrooooooor.  Além disso, a gente também corre o risco da Kesha chegar antes do Andrew Zimmern  no banheiro, aí já viu, o homem por si só já é um estrago doido, de cú sujo é holocausto na certa.

Piada burra # 14

O tenista se vira para seu opositor e resmunga.
- Cara já mandei a bola 3 vezes pro teu lado e tu não rebates, assim não tem nem emoção. Joga filho duma égua!
- Amigo, eu não sou jogador, estou aqui com essa raquete matando mosquitos.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O Casal dos sonhos.

Nem mesmo em contos de fadas vai se achar um casal tão perfeito. Jamais essezinho vai encontrar outra igual. Com a carinha que tem não ia encontrar ninguém, nem para ser seu inimigo. A sorte foi achar a mocinha com o sinal sexy do rosto. Até a foto ficou bacaninha. Só estamos em dúvida se foi Deus quem uniu os dois, pois segundo consta que uniu foi a feiúra mesmo.
Ah! Ia esquecendo, esses dois também estão proibidos de procriar.

Piada burra # 13

A top model entra na borracharia e o borracheiro vai logo sentenciando.
- Mulher o furo foi feio, estás sequinha, sequinha.

Causos de artistas # 5 – Roniquito (um “artista” nato).

Segundo conta Ruy Castro, no livro “Ela é Carioca”, o economista Roniquito de Chevalier, irmão da jornalista Scarlet Moon, foi o verdadeiro inventor da palavra aspone (assessor de porra nenhuma). Ele às vezes entrava num botequim e se anunciava: “Senhoras e senhores, aqui Ronald de Chevalier. Dentro de alguns minutos... Roniquito!”. Mesas estremeciam. Todos sabiam que aquele rapaz bem-nascido, bem vestido, bem-falante e de profissão economista, que acabara de entrar recitando Shakespeare ou Baudelaire, iria cumprir a ameaça. Dali a três ou quatro uísques (não havia uma progressão, era de repente), ele se aproximaria de alguém (o queixo proeminente quase espetando a cara do outro) e diria alguma coisa tão ofensiva que faria o outro espumar e partir para assassiná-lo. Talvez porque o que ele dissesse fosse a verdade. Era tão corajoso quanto frágil fisicamente. Escapou centenas de vezes de ser desmembrado ou de ter os ossos da face transformados em paçoca por punhos poderosos. Muitas vezes foi salvo pelos amigos, que brigavam por ele. Em outras, apanhou de verdade e agüentou firme.
Conta-se que, numa dessas, o sujeito que o espancava perguntou-lhe: “Chega ou quer mais?”. E Roniquito, no chão, com o sapato do brutamontes sobre seu pescoço, ainda conseguiu olhar para cima e articular: “Cansou, filho da puta?”.

A morte do Marcão.

Marcão era um antigo funcionário de uma cervejaria no interior de São Paulo. Ele era feliz no trabalho, embora seu sonho fosse ser degustador de cerveja, bebida que tanto adorava. Certa vez, trabalhando no turno da noite, ele caiu dentro de um tonel de cerveja. Pela manhã, o vigia deu a triste notícia:
- É com profundo sofrimento que informo que o Marcão se desequilibrou, caiu no tonel de cerveja e infelizmente morreu afogado.
Um grande amigo de Marcão com a voz muito triste pergunta:
- Meu Deus!!! Será que ele sofreu???
O vigia então responde:
- Acredito que não, porque, segundo as imagens da câmera de segurança, ele chegou a sair três vezes do tonel para mijar...


E.T. - Mais uma contribuição do Camureba.

Eu avisei.

Neste ano não vamos concorrer ao Oscar 2011, na avaliação preliminar o filme que estava nos representando não passou no crivo dos críticos. O nosso representante era Lula - o Filho do Brasil. Eu não vi o filme, aliás vi tão somente um trailer na internet, e o ator principal fala meio estranho, tatibitate, igualzinho ao Romário, tanto que eu havia sugerido trocar o nome para: The son of Romário, acho que tínhamos mais chances. De todo modo o filme como diz os americanos: it is shit! Agora vamos ver se Dilma - a filho do búlgaro emplaca

Toots Thielemans e Bluesette.

Até domingo a música do blog é Bluesette composição de Toots Thielemans. A gravação é do próprio Thielemans com o European Quartet contida no disco de ambos: Live, de 2010 - Challenge Records.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Homenagem para a amada.

Essa eu não sabia. O departamento de trânsito da Argentina só licencia os taxis se forem pintados com a parte de cima amarela e a parte de baixo preta. Dizem que isso foi uma ordem do Diretor de trânsito de lá que amou profundamente uma mulher de cabelos louros e pentelhos pretos.

Depois dessa fico pensando se o Diretor da Ctbel amou alguma anciã, pois os nossos taxis são todos brancos. 

Severa Romana pouco sabia.

Moleque em fase de crescimento com seus 17 e 18 anos só pensa em flanar e mulher, estudo nem pensar. E o Mauro meu irmão caçula não poderia fugir a regra. O papai já tinha falecido quando ele começou a se preparar para o vestibular, eu já estava morando fora de casa, e a única cobrança para o Mauro estudar era feita pela mamãe, que sempre deu crédito de confiança a todos nós, especialmente quando havia religião envolvida na história. Antes do dito concurso de vestibular perguntei a mamãe se o Mauro estava estudando, era para o curso de Direito. Ela me disse que insistentemente cobrava isso dele, e que ele sempre respondia favoravelmente, e disse mais, que eu deveria ficar tranqüilo, pois além dele estar estudando, toda segunda-feira ia ao Cemitério da Soledade fazer promessa para Severa Romana. Bom, veio às provas e o Mauro não passou, eu na primeira oportunidade que tive de falar com ele perguntei: - Mauro o que foi que houve? Não te preparaste como deverias, não é rapaz?
- Mano o problema é que Severa Romana não sabe nada e não pode me ajudar.
Pelo que pude constatar na internet de fato Severa Romana, apesar de Romana, pouco sabia do Direito Romano.

Brincadeira de criança???

- Onde é que você estava? Pergunta a mãe à filhinha de seis anos.
 - No quarto, brincando de médico com o Nepomuceno. Ele era o médico e eu a doente.          
 A mãe dá um grito e um salto da cadeira:
 - De mééééédico ?!?!?!?!?!
 - Calma, mãe, ele era médico do SUS...  Nem me atendeu !!!!!

Basta uma foto.

No Afeganistão a maior distração do povo, é colecionar álbuns de fotografias de seus familiares e amigos, especialmente da mulherada. Seja em casa, no trabalho, nas férias ou até mesmo nas guerras o hobby é fotografia.
Há vantagem de ser do sexo feminino por lá, é que basta você tirar uma única foto 3x4, independente de sua idade, que ela vai servir para emissão de qualquer documento, inclusive carteira de vacina, certidão de óbito e santo de primeira comunhão.
Atenção: Não se atreva a ser detetive particular no Afeganistão, daqueles de dar flagra de adultérios, você vai passar fome.

Piada burra # 12

Nem bem o lutador de sumô entrou na farmácia, a atendente foi logo prescrevendo.
- Incontinência urinária!!??