Músicas, Seriedades, Burridades e Coisas Ogonorantes.

Um blog para quem não tem nada para fazer. Para pessoas que vieram do nada e hoje não tem porra nenhuma.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Olhando para o próprio umbigo.

O Lobão disse em uma entrevista publicada pela imprensa nacional, que as manifestações sociais que acontecem no Brasil estão mais parecidas com escolas de samba, onde cada escola se organiza e defende suas cores. E acho que ele, infelizmente, tem razão. 
Um advogado amigo meu esteve recentemente no fórum de Ananindeua e presenciou a seguinte cena. Uma mulher envolvida em processo de separação judicial, depois de tomar conhecimento das manifestações feitas no processo, possivelmente pela parte contrária,   começou a falar em voz alta: "Eu não acredito que eles tiveram coragem de escrever isso a meu respeito. Eles não me conhecem, já já faço um barraco danado, fecho a BR-316 a hora que eu quiser".  E é bem capaz de fechar mesmo! Virou moda fechar vias, tocar fogo em pneus, fazer manifestação sob qualquer pretexto. Hoje as cidades estão paradas, diversas categorias estão nas ruas atravancando o trânsito, paralisando atividades importantes para a população. Cada uma delas reivindicando aumentos, vales alimentações, isenção de impostos, benesses de toda ordem.
Não há nesses protestos uma causa mais abrangente, de interesse coletivo, que traga benefícios para toda sociedade. A saúde, por exemplo, que vive um verdadeiro caos, que mata todos os dias pessoas carentes, é pano secundário nessas manifestações. Educação então, nem se fala, embora professores estejam lá reivindicando melhorias nos salários da categoria. Priorizamos primeiro nossos umbigos, e estamos perdendo a oportunidade de fazer um Brasil melhor. 

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Crítica Literária # 3.

Tive que viajar para o interior do Pará e fiquei num hotelzinho modesto, e adivinha o que tinha na gaveta da mesinha de cabeceira? Acertou quem disse o Velho Testamento. Resolvi ler. Na capa não tem nem o nome do escritor, somente Velho Testamento, mas pela leitura das primeiras páginas tenho a impressão de tratar-se de um velho, tipo Paulo Maluf, que sabe o nome de todo mundo. Começa listando um a um pelo nome (Abrahão, Jacó, Moisés...), e ainda por cima sem dó e nem piedade, diz quem comeu quem (Abrahão comeu Sarah, que por sua vez deu para Jacó, Jacó não satisfeito comeu Esther e deixou Moisés com o pau na mão, digo cajado). Se fosse nos dias de hoje no mínimo estava respondendo vários processos por injúria e difamação. Bom, mas antes das denúncias, vem a tal da criação do mundo. Foi rápido pra cacete, em 6 dias estava tudo pronto, de deixar qualquer político com inveja. Mas tombém, como diria o caboclo, sem estradas, sem hospital, sem praça, sem o Manoel Pinto, sem a Lojas Americanas e o BRT, qualquer um faria rapidola. Nesse livro descobri que foi o autor que inventou a história de Adão e Eva, que eu pensava que fosse mentira, mas tá lá, inclusive de que a Eva veio da costela de Adão, (coisa sábia, pois como diz um filósofo de Igarapé Açu se fosse do filé de Adão só rico comia, ainda bem que foi da costela, só não se sabe se é Friboi). Algumas páginas do capítulo seguinte, o Êxodo, foram arrancadas por algum hóspede maconheiro, mas deixa isso pra lá. Do nada surge um barco grande, a tal Arca de Noé, que no meu entendimento cometeu um erro fatal para o futuro do planeta. No mínimo esse Noé deveria ter deixado fora da arca o casal de leão e o de urubu, teria livrado a humanidade do remo e do flamengo para sempre. Na parte dos profetas meu saco torrou e eu dormi. Quando acordei uma barata havia feito um estrago na obra. Embora seja um livro velho, como o próprio nome diz, é feito com um papel moderno com sabor convidativo para baratas de qualquer espécie. Como não li o final, recomendo a leitura da obra para pessoas desesperançadas, sem grana, desempregadas e a beira do suicídio. Para ser sincero tudo que escrevi nessa crítica literária eu copiei do New York Times, pois não consegui ler nem uma página do livro, as letras são muito miudinhas. Cabe salientar que a única coisa que escrevi de fato, foi sobre as páginas arrancadas pelo hóspede maconheiro...o filho-da-puta tirou as páginas para enrolar o baseado. Justamente a parte que Moisés abre a porra do mar vermelho para os judeus fugirem dos egípcios. Por conta desse vício do hóspede não se sabe como foi o restante do êxodo, razão pela qual até hoje é uma cagada naquela região. Para finalizar minha avaliação, atribuo nota 3 para o livro. Para o maconheiro dou nota 5 e para a barata tasco um 9,5.

Antônimo.

Ontem a torcida do Atlético Mineiro gritava a pleno pulmões: EU ACREDITO! Quase que simultaneamente a torcida do meu Botafogo bradava: EU NÃO ACREDITO (que venderam o Vitinho)! Mesmo assim a descrença eliminou a convicção.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Baixa tesão.

É fogo torcer por time pobre. Logo agora que estava todo empolgado com o meu Botafogo, veio o tiro de misericórdia: Venderam o Vitinho!

Manda muito.

Pensei que esse Evo Morales só tivesse muita morales na Bolívia. Qual nada! Tem também uma puta morales aqui no Brasil. Demitiu o diplomata vaselina do Patriota. A Dilma se borrou de medo do índio, com razão, se eles resolvem mandar as lhamas assassinas para cima da gente nós estamos lascados. Adeus Copa do Mundo.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Nota publicitária

Em resposta meu post "Dá e tira" o governo locou espaço publicitário para provar de uma vez por todas que o dinheiro da bolsa família é gasto com outras coisas uteis. Taí Dona Minervina, usuária do programa, testemunhando...
video

Vende-se Geladeira Duflex.


Socorro urgente.

Dia desses apareceu nos telejornais a morte de um cidadão por mal súbito, em razão da lerdeza de um repórter que resolveu insistir em pedir uma ambulância para socorrer o cidadão, em vez de levá-lo para o hospital. Ao que parece assistiu esse filme de primeiros socorros. 
video

Dá e tira.

O João Sá vive brigando comigo sobre a Bolsa Família, segundo ele algo revolucionário feito pelo governo do PT para acabar com a fome no Brasil. Bom o Governo diz que dá para 50 milhões de brasileiros, R$ 32,00 a mais por filho para completar a renda daqueles que têm até R$ 140,00 mensais de ganho mensal per capita. Diz que isto é para saciar a fome dos miseráveis. Aí me inventa o Minha Casa Minha Vida que o bolsista vai ter que pagar em 30 anos (para as Construtoras que recebem adiantado da Caixa), em seguida empurra goela abaixo do pobretão à bolsa mobília, para comprar  tudo novo para a casa nova, que ele vai ter que pagar em 48 meses (para o Comércio Varejista). Como ainda sobrou um troco, acaba de inventar o Telefone Social que vai custar R$ 9,50 por mês (para as Telefônicas) para dizer simplesmente: “alô mamãe estou com fome”. Conclusão é uma transferência de dinheiro para o empresariado.

Outra vez horroroso.

Acabou o encanto. O meu Corinthians não é mais o mesmo. É um arremedo de time, onde somente o Ralf e o Gil se salvam. O resto pode embrulhar e jogar no lixo. Nosso goleiro é feio pra porra, não sabe sair em bolas aéreas e é um excelente armador de contra-ataques dos adversários. Nosso lateral esquerdo o Edenilson é um exímio passista, faz umas firulas doidas e perde quase sempre a bola. O Paulo André é só emoção, disputa palmo a palmo com o monstro do Cássio quem dá mais chances de gols aos adversários. O Fábio Santos já envelheceu é está doido para jogar no Paysandu. Ibson, meu Deus, quem ressuscitou esse moço? Basta vir do flamengo que já não presta. O Douglas fica naquela de encerar o chão, roda, roda e não sabe o que faz com a bola. O Emerson tropeça na bola, não faz uma jogada certa. O Romarinho é um exemplo de garra com excesso de verme, é uma empolgação de contagiar qualquer altista. O Danilo tem essas mesmas virtudes, vive em slow motion. O Guerreiro fica pensando na próxima tatuagem e o Pato na namorada. Aí me vem o Tite com aquela sua sabedoria de português flamenguista e tira o atacante é coloca o D’flash do Alessandro. Tenho a impressão que o Alessandro pensa que o campo é só ele e mais ninguém. Pega a bola e passa horas para dominar, quando se espanta já levaram e salve-se quem puder lá atrás. Até o meu Fogão perdeu. O melhor da rodada de ontem foi a derrota do flamengo. Esse mengão me dá muita alegria.

Até pensei.

Meu Paysandu anda tão ruim, mas tão ruim, que pensei até em deixar de torcer por ele. Mas quando penso que terei que torcer pelo remo, volto a ser Paysandu.

domingo, 25 de agosto de 2013

Papai e Maurício.

Hoje se vivo fosse meu pai Renato estaria completando 88 anos. Como ele mesmo dizia: “25 de agosto é o dia do Soldado e da Castanha de Mucajá”. A castanha de mucajá é uma semente enorme que servia para saciar a fome de nossos soldados na 2ª guerra, e também de arma letal para matar nazista. Uma castanhada de mucajá no corpo é morte certa. O velho Renato faz muita falta, e todos dias alimento aquela saudade gostosa das coisas boas que meu pai deixou por aqui. Além dele o meu amigo Maurício Lélis, por pura inveja, também faz aniversário hoje. Tanto o papai como o Maurício são (era) craques para contar uma piada. Para o papai vai meu beijo de saudade com o humor que ele me ensinou a ter. Para o Maurício felicidades e longevidade, que a vida ainda traga muitos casamentos e desejos realizados.

Crítica Literária # 2.

Essa semana li rapidamente em um barbeiro da cidade o besta-seller de Salomão Laredo “Jibóia Branca”. Embora pareça ser um livro fino, não é, é cumprido e pesado, pois fala sobre ônibus, as linhas de ônibus de Belém. Algo genial, pois jamais em toda minha vida ia imaginar que alguém tivesse essa feliz ideia em colocar em um livro todas as linhas de ônibus de Belém, inacreditável. Ainda por cima toda arrumadinha, coisa que nenhum prefeito e diretor de trânsito conseguiram ainda. Por exemplo, começa a narrativa com a linha Tamoios-Arsenal e como não quer nada, cita no final da página a linha Canudos-Umarizal, ou seja, a tal rima rica, note bem o som Arsenal-al-al-al e Umarizal-al-al-al. Apesar do som ser o mesmo, as cores dos ônibus são diferentes. Uma pena que a obra ainda não tenha sido traduzida para o Braile, pois ia ajudar muito os deficientes visuais a pegarem o ônibus certo. Lembre-se que em muitas paradas há gente que não tem boa dicção e pode sem maldade, ou de sacanagem mesmo, dizer para o ceguinho que a linha é Tapanã-Cremação, e o ceguinho entender Carapanã de Caução, e perder o ônibus. Portanto acho a obra importantíssima que deve ser lida imediatamente pelos fanhos, gente que fala pra dentro e cobradores mal-educados. No meio do livro há dois grampos prendendo as páginas na capa, solução bastante engenhosa e complexa, pois você já tentou grampear um livro em um ônibus lotado é muito difícil. Nas 2 páginas seguintes relaciona todas as linhas que passam em frente na Oficina de Serviço Técnico Especializada do Venceslau Magaiver, revelando forte merchandising para quem financiou a obra. Para quem não sabe, a Oficina do Venceslau é aquela que conserta do ferro a carvão a helicóptero. No capítulo único e último o autor encerra a obra com o ônibus GreenVille-Jibóia Branca no fim da linha totalmente seco. Cotação: R$ 2,20.

Saída pelos fundos...

Agora pode.

Tenho uma amiga que tem um nojo danado de pagar na mão de um músico doidinho da terra. As más línguas afirmam que o rapaz quando vai ao banheiro mijar não lava as mãos. Inclusive aqueles que pegaram na mão dele dizem que é só ceroto de pica. Para resolver o problema em nome da boa educação, um dos ex-estagiários do Camilo, que adora pegar em pica (dos outros), projetou esse mictório que esperamos vê-lo implantado em breve nos banheiros onde nossa turma bebe e o músico toca.

P.S.C

Durante 5 anos digo que P.S.C, a sigla do meu coitado Paysandu, significa: Paixonado pela Série C. Ontem confirmou isso. Levou de 2 do Icasa. Se pegar o time da Dicasa leva de mais.

Cadê tu Danuza Leão?

Nossos pais nos ensinaram ainda crianças que comer de colher é errado, não condiz com a boa etiqueta, o certo é comer com garfo. E essezinho na Austrália só depois dos 60 anos aprendeu essa lição. Lembre-se para comer use garfo e não colher!

Coisa linda de ver # 17.

Som do blog atendendo pedido.

Nesta semana o blog vai atender um pedido de uma amiga e abrir espaço para a canção de Gordon Kennedy/Wayne Kirkpatrick/Tommy Sims “Change The World”, que a rockeira brasileira BlueBell interpreta para um comercial do Banco Itaú. Esta canção nos anos 90 fez muito sucesso na voz do magistral Eric Clapton.

Minha santa.

Jamais em toda minha vida vi isto. Sempre pensei que os índios fossem homens maus para cacete. Eu tinha pavor de ver os peles vermelhas no carnaval. Agora parece que os silvícolas também quebram a munheca. Onde já se viu índio com mala rosa. Camisa polo pode, mas mala rosa é pior que bolsa roxa.

Como ver futebol aos domingos sem aporrinhação.

Acorde cedo dê um beijo na esposa, vá até o supermercado e compre algo pronto para almoçar para não estressar a madame, e como ninguém é de ferro compre umas cervejinhas. Almoce com a amada e na hora que ela for levar a louça para lavar, vá também para cozinha e pegue uma cervejinha e abra a garrafa com esta delicadeza... Pronto você vai ver o jogo em paz!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Republicando # 1.

Em razão de diversos pedidos feitos para redação estaremos republicando alguns posts.  O primeiro da série são As Orientações Sexuais da Dra. Lúcia, tão necessário nos dias atuais, onde as pessoas na maioria das vezes não sabem o que fazer na hora do nheco-nheco.
Orientação # 01.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é a Minervina! Eu queria saber se
posso tomar anticoncepcional com diarréia?
Drª. Lúcia: - Olha, eu tomo com água, mas a opção é sua!
Orientação # 02.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Me chamo Jefferson e eu gostaria de
saber como faço pra minha esposa gritar por uma hora depois do sexo!
Drª.Lúcia: - Limpe o pau na cortina da sala!
Orientação # 03.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Meu nome é Gretchen. Posso fazer sexo depois do almoço?
Drª.Lúcia: - Pode gulosa! Mas evite fazer sexo anal se você mandou ver na pimenta! 
Orientação # 4.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Eu sou a Vera e queria saber porque os
homens vão embora logo depois de transar com a gente no primeiro
encontro?
Drª.Lúcia: - Porque você é muito fácil minha filha. Não cobrou nada, tadinha!
Orientação # 5.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Me chamo Luciane e eu tenho um amigo que quer fazer sexo comigo, mas ele tem um pênis de 25cm. Acho que vai ser doloroso, o que faço?
Drª.Lúcia: - Manda ele pra cá que eu testo pra você!
Orientação # 6.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Terminei com meu ex porque ele é muito galinha e agora estou com outro. Mas ainda gosto do ex e as vezes ainda fico com ele! O que devo fazer?
Drª.Lúcia: - Faça dieta comece a comer milho? Có-có-có-có...
Orientação # 7.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é o Sílvio e eu gostaria de saber porque o meu pau arde quando vou transar ?
Drª.Lúcia: - Porque você achou ele no lixo! Mande cremar.
Orientação # 8.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Sou feia e pobre. O que devo fazer para alguém gostar de mim?
Drª.Lúcia: - Compre chumbinho, Deus gosta de todos nós!
Orientação # 9.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é a Matilde, é falta de educação falar com o pênis na boca?
Drª.Lúcia: - Tu queres bater papo ou chupar pica? Te decide o mal educada.
Orientação # 10.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Quero saber como enlouquecer meu namorado só nas preliminares.
Drª. Lúcia: - Não lave a xereca antes, por três dias.
Orientação # 11.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Meu nome é Riba e quero saber se eu fizer vasectomia posso continuar a fazer sexo.
Drª.Lúcia: - Depende da faca e do lugar onde vais cortar!
Orientação # 12.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é a Fredão! É o seguinte...o cara com quem estou saindo é muito legal, mas está dando sinais de ser alcoólatra. O que eu faço?
Drª.Lúcia: - Pare de beber com ele, pois cú de porre não tem dono.
Orientação # 13.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é a Léia, me diga, porque as mulheres esfregam os olhos de manhã, quando acordam?
Drª.Lúcia: - Porque a noite, antes de dormir, vão esfregar o olho do cú!
Orientação # 14.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Eu sou a Rosa e eu queria um conselho! Como faço para seduzir o rapaz que eu amo?
Drª.Lúcia: - Emagreça antes e depois compre uma máscara.
Orientação # 15.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Sou virgem e rolou pela primeira vez um lance de fazer sexo oral. Terminei engolindo o negócio e quero saber se corro o risco de ficar grávida. Estou desesperada!!!
Drª.Lúcia: - Fique tranqüila na hora do parto procure um dentista e abra a boca, a criança vai estar pendurada na campainha do céu da boca (úvula).
Orientação # 16.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Quero saber se a primeira vez dói. Tenho 21 anos e ainda não transei porque tenho medo de doer e não aguentar.
Drª.Lúcia: - Depende do tamanho da caceta e do buraco que você vai dar, se for do ouvido dói muito.
Orientação # 17.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é a Rose e eu queria saber por que os homens se masturbam mesmo quando são casados?
Drª.Lúcia: - Pode ser que uma cirurgia de perinho resolva. Caso ele continue a socar mandioca, faça SPA, faça plástica, vá a macumbeiras, cartomantes, videntes e se não der certo, compre um revolver!
Orientação # 18.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Aqui é o Fred! Tire uma dúvida, durante o sexo eu posso chupar os seios de uma mulher que esteja amamentando?
Drª.Lúcia: - Pode, desde que a criança não esteja usando. Por precaução faça antes gargarejo com creolina.
Orientação # 19.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Meu nome é Gysleine e eu gostaria de saber como engolir todo o pênis do meu namorado sem vomitar?
Drª.Lúcia: - Faça um buraco na parte de trás da sua nuca para acomodar melhor essa munguba, mas com cuidado porque você pode morrer.  
Orientação # 20.
Ouvinte: - Bom dia Dra. Lúcia! Meu nome é Suzy. Em todas as minhas experiências amorosas não consigo ter orgasmos com meus namorados. Já fiz de tudo e não me interesso por homens, o que faço estou desesperada?
Drª.Lúcia: - Compre um aparelho e um creme de barbear, apare a barba, tire o bigode, raspe o suvaco e vá se declarar para as meninas.

Horroroso.

Ontem a noite vi pela enésima vez o meu Corinthians, e apesar de ter conquistado recentemente todos os títulos desejáveis, o time pratica na maioria das vezes um futebol feio, ineficiente, sem criação, de pouquíssimos gols, de enervar qualquer um. Não entendo a razão de endeusarem o Tite, qualificando-o como treinador moderno, um grande estrategista. Na prática o Corinthians é um time que sabe se defender muito bem, porém não sabe ser objetivo, fazer gols. É raro se assistir uma partida do Corinthians com mais de dois gols. Adora um empate e adora premiar a torcida com apresentações medíocres, perdendo jogos para times sem expressão. Ontem tivemos mais um Tolima pela frente, o Luverdense, e a lição de 2011 de nada adiantou, praticamos um futebol horroroso.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Meio milhão.

Falta pouco para alcançarmos 500.000 acessos em quase 3 anos de blog. Apesar do avanço da medicina o humor ainda é o melhor remédio. Obrigado a todos que de forma direta e indireta constroem o Blog do Condureba.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Feçora...

Camilo depois de muito pesquisar finalmente encontrei a feçora da Dona Onete. Não repara que no final ela está chapada de tanto jambu.
video

Essa eu não sabia.

Historiadores esquecidos de Tracuateua descobriram agorinha mesmo que Che Guevara, um dos líderes da revolução cubana, ganhou esse apelido quando namorava uma gaúcha. Quando ela viu o "instrumento" dele exclamou: "Tchê que vara".

É coisa das elites...

Toda vez que o presidente Lula se via acuado por alguma alopração de seus pares, jogava a culpa pra cima das elites. Em seus discursos para o povão sempre fez o jogo da guerra de classes, pobres contra ricos, imputando toda a responsabilidade das mazelas do Brasil para as elites. Agora fico sabendo que além do Bolsa Família que custa por ano 28 bilhões de reais, existe a Bolsa Empresário, que tem custo anual para os cofres públicos superior ao Bolsa Família. Trata-se dos juros subsidiados que o BNDES adota nos empréstimos para os Eikes Batistas que formam as elites brasileiras. Adoçando a boca dos pobres e das elites, faz um discurso para bobocas e consegue prolongar a vida do PT no poder.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Antes que façam a tal passeata.

Recebi do colaborador anônimo, Pedro Amorim o seguinte email.

Caro Condureba,
Ontem, no Domingo Espetacular, foi levada ao ar reportagem importantíssima para nossa cultura. Desafortunadamente a matéria é inconclusiva.
Assim, venho apelar para os seus conhecimentos musicais para esclarecer esta dúvida que tanto nos aflige.
De quem é a música "Bara Bará Bere Berê" ?
Seria de Dorgival Dantas?
Seria da famosíssima dupla de compositores "Bruno Camacho e Cuiabano" ?
Poderia ser de um outro compositor - p.e. Zeca Baleiro?
Ou ainda do Paulo Chaves?
Por favor, não meça esforços para responder´. É de suma importância para o país. Já está prevista uma passeata cobrando esclarecimento.
O colaborador anônimo is back!!!
P.S. - I love Barack, Michele, Sacha e Malia (Não apague. Ele vai ler).


Até onde vai meu conhecimento musical essa tal de Bara, Bará, Bere, Berê, é plagio da famosíssima: Meu Ia-Iá, Meu Io-Iô do falecido Vando. Ambas são inspiradas no cheiro do fundo da calcinha de Gaby Amaranto.

É o próprio.

Na semana que passou esteve em Belém a banda cover da Legião Urbana. O vocalista é o Renato Russo puro. Tem o nome de Renato, fala igual ao Renato, canta igual ao Renato, é a cara do Renato, é magrinho como o Renato, é gay igual ao Renato, e é bem provável que tenha a mesma doença que matou o Renato. Égua vai ser igual assim no inferno. 

domingo, 18 de agosto de 2013

Quem manda estudar!

Essa está demais. Uma amiga minha contou que um aluno dela que é cego de nascença ganhou da instituição onde estuda um prêmio por ser estudioso. Simplesmente uma excursão aérea com tudo pago para ver, (com os próprios olhos que a terra há de comer), as sete maravilhas da natureza. As vezes é melhor ser vadio.

Por falar em cego.

Um amigo que tem um tio cego me contou essa. Em uma reunião social, onde o meu amigo e o tio estavam presentes, a conversa rolava solta e animada. Depois de uma hora de papo um dos presentes se vira para o tio de meu amigo e diz: - Meu senhor só agora notei que você é deficiente visual. Mas com toda certeza o Senhor consegue ver a todos com outros olhos. O tio do meu amigo se levantou, virou de costa e mirou a bunda para o interlocutor. O cidadão intrigado indagou: - O que é isso? Diz o tio ceguinho: Estou gravando a sua fisionomia.

Coincidência futebolística.

Embora em série diferentes um na série A e outro na série B do Campeonato Brasileiro, Botafogo e Paysandu têm em comum algumas coincidências futebolísticas. São meus times do coração, têm camisas listradas e conseguem proezas inesquecíveis no último minuto dos jogos. Enquanto meu Botafogo permite que o adversário empate, o meu Papão age de forma muita melhor, permite que o adversário vire o jogo.

Sinecurismo musical.

Na sexta passada fui ao Camarim Cultural assistir o excelente show do saxofonista Paulo Levi Quarteto, formado pelo Levy, Duduka da Fonseca (bateria), David Feldman (piano) e Sérgio Brandão (baixo). Todos eles radicados em Nova York, músicos da melhor qualidade que raramente aparecem por aqui. E por incrível que pareça pouquíssima gente, denotando que Belém além de pobre financeiramente (a mesa custava R$ 160,00) é também pobre musicalmente, uma cidade de péssimo gosto, onde as pessoas preferem Guitarradas e Donas Onetes da vida. Para completar ao rever o Paulo Levy fiquei convicto que produzimos bons músicos (deram canja por lá o Nego Nelson, o Toninho Abenatar e outro novinho que não recordo o nome), e quem tem competência não tem medo de enfrentar novos ares. Levy fez isso, foi primeiro para a Europa, depois se radicou na América do Norte.
Enquanto isso, aqueles que não acreditam em seus potenciais acham mais fácil criticar o Paulo Chaves, e quem sabe ganhar um DAS de cala boca.

Duduka da Fonseca no som do blog.

O baterista brasileiro radicado em Nova York está presente no som do blog desta semana, interpretando juntamente com David Feldman (piano) e Guto Wirtti (baixo) a canção de Sérgio Ricardo ZELÃO. A gravação está no novo disco de Duduka lançado recentemente nos EUA : Duduka da Fonseca Trio – New Samba Jazz Directions (Zoho/2013).

Fé em Deus.

Um dia indo para o Mosqueiro com duas amigas, uma delas pede para a que estava dirigindo parar na praia do Ariramba, onde tem aquele barranco enorme. Chegado lá paramos e a carona partiu para a ponta do barranco, com o sol se pondo. Levantou as mãos para o céu e pediu em voz alta: - Meu Deus me dê um carro novo! Achamos aquilo esquisito, mas cada um com sua fé. Passado uns 20 dias, a amiga que dirigia o carro me liga: - Renato tens que acreditar em Deus. Lembras que nossa amiga pediu um carro novo. Pois é, não é que ela conseguiu. Vamos para o Mosqueiro agora fazer o pedido. Ouvi e ponderei: - Menina, eu não vou. Mas se quiseres vai, agora deixa eu te dizer uma coisa, o Deus da nossa amiga vive dentro da calcinha dela. Putz! Foi um porradau danado.

Vou mudar.

A idade nos leva a sempre buscar um descanso digno. E sempre que posso estou me planejando para o The End. Já fiz licitação de sepultura, com várias exigências, também fiz pregão de caixão confortável e de um bom terno. Mas segundo os especialistas no assunto, falta ainda acreditar em Deus, para que eu vá para o céu. Assim resolvi de uma vez por todas não chamar mais nome feio, inclusive nos dedos, não me masturbar, não cuspir mais no chão, em suma reduzir a três os meus pecados (vou continuar a praguejar os bregueiros, o remo e o flamengo). Agindo assim consigo meu intento, ir para um Paraíso Fiscal desses da Oceania.

Aniversário do Naldo.

Hoje meu primo Naldo está completando algumas dezenas de primaveras. Mando meu abraço de felicidades e que o Johnny Walker continue a padecer por muitos e muitos anos.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Critica Literária # 1.

Ontem com grande alarido foi lançada no Centur a Abreugrafia da Dona Onete, que durante seus 70 anos escreveu todos os passos de sua vida sofrida e cheia de ogonorâncias. Felizmente não pude ir a noite da impressão digital, mas curioso com o conteúdo do livro, resolvi comprar a versão em égua-books. E na mesma noite li as 8 páginas de tão volumosa obra. Nela Dona Onete ensaia seus primeiros contatos com o alfabeto. Na primeira página percebe-se o esforço da escritora em escrever a frase A Eva Viu a Uva, tarefa essa recompensada na quinta página quando a palavra Eva fica legível e compreensível, entretanto incorre ainda em erros gramaticais graves quando escreve a palavra Uva, vez por outra escreve Vuva e em algumas ocasiões Ovo, sinalizando que sua infância foi marcada por muito ovo com carne viandada. Na penúltima e sétima página a narrativa ganha contornos dramáticos, deixando o leitor indignado com tanta besteira e iniquidades. Simplesmente a cantora toma um sonrisal logo após ter mastigado jambu a noite toda. Não podia dar em outra coisa, pirrique na certa. Nos 3 últimos parágrafos escritos com pouquíssimas palavras, que pensei até em tratar-se de curso de estenografia, a autora finaliza sua obra de forma singular e única, escrevendo de próprio punho a palavra FIM. Eu quase chorei de tanto rir. Para quem está ainda engatinhando na caligrafia encerraria meu comentário literário recomendando que o livro fique longe do alcance: dos fetos, dos bebês, das crianças, dos jovens, dos adultos e da velharada em geral, inclusive índios, gays, fracos e oprimidos. Avaliação: Muito Bom tendendo para ridículo.     

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Cadê tu Garrincha?

Perdi a noite assistindo ao jogo do meu Paysandu contra o Oeste de Itápolis (SP). Perdemos de 1 x 0, e ficou algumas lições. Quando vejo o Paysandu jogar fora de Belém fica parecendo que os adversários são muito superiores (e não são), com jogadores que deveriam estar jogando baralho em vez de futebol. Somos medíocres, e o que é pior temos um ponta direita, herdado de nosso inimigo público nª 1 (o lião), que não sabe driblar, não sabe cruzar e não sabe passar, mas é titular do time. Eu se fosse o reserva desse moço já teria praticado harakiri.  

Olho por olho...

Um amigo meu, técnico de controle orçamentário com alto cargo no governo, é quem diz se pode ou não liberar verbas para qualquer que seja o órgão do estado, tem a missão de cuidar do equilíbrio do orçamento estadual. Pois bem, recebeu um pedido de liberação de recursos do responsável pela instituição que cuida dos hansenianos. Em razão dos frequentes pedidos feitos pela mesma instituição e da necessidade de controlar as despesas, respondeu o pleito da seguinte forma: Prezado Dirigente, comunicamos que seu pedido foi indeferido, seguiremos o belo exemplo da instituição tão bem administrada por V.Sa.: "cortaremos na carne" os recursos solicitados.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Bamburrando.

O Camilo bem que avisou. O Pig Forever está rico, vendeu dois shows para Macapá por um dinheirão. E não é que é verdade. O cara está bamburrando, até o posto de combustível vizinho a casa dele está promovendo uma puta campanha de Marketing Pessoal do empresário. É uma gastança danada.

Ateu x Espírita.

Um ateu declarado discutia com uma senhora espírita, que tentava de todas as maneiras provar a existência de Deus.
Disse ela: Deus criou o universo.
Disse ele: Se isso fosse verdade Deus não teria criado a Terra Firme, um lugar perigoso e feio pra cacete.
Disse ela: Deus está presente em todas as coisas.
Disse ele: Menos em banheiro de pobre, que fede pra cacete.
Disse ela: Meu Deus onde estás com a cabeça rapaz.
Disse ele: Pensando em te comer.

Gramado novo.

Com a conquista da Copa Norte Sub-20, o Pirão viu que a lavagem de descarrego que mandou fazer no Baenão deu certo. Para deixar a praça esportiva nos trinques para a Copa Brasil Sub-20, o lião importou o que há de mais moderno para aparar gramados de futebol.

Técnica geriátrica para ejacular forte.

A partir dos 60 anos a gala fica rala e por mais que o velho se esforce a ejaculação ocorre em conta-gotas. Para evitar esses efeitos vexaminosos, aconselhamos os idosos adotarem a seguinte técnica. Antes de começar esse tratamento pegue uma liga dessas bem fortes e prenda a cabeça da pica ainda mole e não retire nem para mijar. Você vai usá-la por 360 dias. Durante esse período dedique todo o seu tempo para atividades que estimule seu apetite sexual, por exemplo, só leia revistas de mulheres nuas, assista filmes pornográficos, converse com seus amigos sobre sacanagem, deseje sempre que possível a mulher do próximo, mas jamais pegue na pica ou faça qualquer menção que possa sinalizar uma punheta. Quando sentir que você está próximo de ter uma ejaculação leia imediatamente a Bíblia e cante bem alto canções sacras. Lembre-se que você tem que acumular esperma na bolsa escrotal que já está bastante escrota, porém bem elástica, e que um velho produz por dia cerca de 3 ml de gala. Depois de 360 dias contrate uma rapariga, dessas que fodem por misericórdia em troca de alguns trocados. Peça para ela tirar a calcinha e retire a liga da cabeça da pica...prontoooooohohohohohohohohohoho.

Victor Biglione no som do Blog.

Nesta semana o som do blog abre espaço para o guitarrista argentino (radicado há muitos anos no Brasil) Victor Biglione e seu trio, que gravou recentemente pelo selo Rob Digital o disco “The Gentle Rain – Ao vivo”. A canção selecionada foi Por Causa de Você, de Antonio Carlos Jobim e Dolores Duran.

Coisa mais linda de ver # 16.

Explicação científica.

Você sabe a razão pelo qual a maioria das piscinas tem o ralo no meio? Não sabe! É para que os pintores da piscina possam sair quando quiserem.

Acho que já ganhou...

Nem abriu ainda as inscrições para o Concurso da Maior Boceta Capô de Fusca 2013, que já apareceu uma concorrente. E parece que já ganhou, vai ser difícil derrotar.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Em extinção.

Aos poucos o Corinthians vai montando uma sucursal no Rio de Janeiro, o Corinthians B. Já mandamos pra lá o Mano Menezes, o Felipe, o Wallace, o Elias, o André Santos e agora o Chicão. O processo de extinção dos ogonorantes começou.

O Judas.

Antes quero enfatizar que este blog não recebe um tostão de pessoa física e/ou jurídica, quer seja pública e/ou privada, não tem também procuração para falar em nome de qualquer pessoa e não tem o propósito de fazer apologia a quem quer que seja, mas quando há injustiças pelo caminho, costumamos meter o bedelho.
Tenho acompanhado o movimento reivindicatório dos artistas locais, que elegeu o Paulo Chaves como o principal responsável pelas mazelas culturais do Estado. É tanta queixa contra o Paulo, que parece que antes dele nada existiu ou que tudo que se fez antes dele foi um mar de rosas. Não tenho a pretensão de criticar o movimento no seu todo, que acho legitimo até. Minhas observações se centram nas críticas pontuais que se tem imputadas ao Paulo. Também não pretendo entrar na seara de discutir a personalidade do Paulo.
1) Festival de Ópera – Entendo o propósito do Paulo de institucionalizar esse tipo de evento na cultura local. A proposta pode até parecer absurda, mas não é. Não se pode elevar o nível cultural de nossa gente mascando jambu ou cantando “oi trepa no coqueiro tira coco...”. Essas manifestações da cultura popular estão aqui há séculos e continuamos os mesmos.  A ópera requer aprimoramento, qualificação e estudo em várias vertentes das artes (musica, teatro, dança, etc. -  O nosso Teatro da Paz fica muito mais bonito encenando uma ópera). Tem também a virtude de revelar aos ignorantes auditivos a música mais elaborada, mais bonita, aquilo que de fato podemos qualificar como música. Para a montagem das óperas apresentadas, ano a ano, há um aumento gradual na participação de artistas locais, que aprimoram seus conhecimentos, que se qualificam e quem sabe um dia, possam por si só produzir.  Esse processo já aconteceu, por exemplo, na Fundação Carlos Gomes, quando a Glória Caputo trouxe músicos internacionais, ganhando mais que os nossos, para ensinar os nossos a tocar: clássicos, jazz e outros gêneros de musicais mais apurados, de qualidade, de bom gosto. Hoje temos uma Orquestra e tanta gente brilhante.
2) Obras Caras – Acusam o Paulo de usar em suas obras materiais caros, como os tais vidros do Hangar, que foram produzidos na Bélgica. Com toda certeza as obras do Paulo são caríssimas se comparadas a outras feitas por gestores públicos, tipo Aldeia Cabana, Praça Waldemar Henrique, etc. Mas com toda certeza exigem um custo de manutenção infinitamente menor. Também esquecem de computar nos gastos “absurdos”, os ganhos: econômico, social e cultural que tais obras (do Paulo) trouxeram para a cidade. Basta perguntar para qualquer motorista de taxi que trafega com turistas em Belém: o que ele costuma mostrar para esses visitantes? ou questionar os turistas: o que eles gostaram de ver na cidade?  Como diz o Camilo, “somos pobres e bregas”. Bem que podíamos colocar no local dos vidros belgas aquelas esteiras de palha que vendem no Ver-o-peso.
3) Muro do Forte do Castelo – Outro despropósito. O Forte do Castelo quando abrigou o restaurante do Círculo Militar e um Salão de festas, com toldos e outros elementos horrorosos que descaracterizavam o local, ninguém tascou o malho, era uma beleza. Foi só restaurar o patrimônio histórico que as críticas chegaram.  O muro impedia que nós tivéssemos a visão de dentro da cidade. Não há quem não diga que ficou mais bonito, integrado a vida da cidade.   Imagina se a condição histórica do muro de Berlim fosse um fator impeditivo para a sua retirada. “Junto à minha rua havia um bosque. Que um muro alto proibia...”
4) Santo Alexandre – Acho que foi o meu querido amigo Lúcio Flávio Pinto que criticou o Paulo nesse aspecto quando disse em um jornal que a função do templo foi desvirtuada. E foi. Hoje é um museu de arte sacra, e vez por outra realiza, como realizava quando igreja, um casamento no local. Certamente realiza esse tipo de cerimônia para ajudar na manutenção do museu. Se tivéssemos o hábito de frequentar museus e pagar um ingresso para tal, esses casamentos com toda certeza seriam dispensáveis. Não entendo o motivo pelo qual não se criticou, pelas mesmas razões, o governo passado que transformou o Hangar Centro de Convenções em uma casa de recepção social, competindo palmo a palmo com a iniciativa privada, como se uma das atribuições do estado fosse essa. Fez: casamentos, 15 anos, colação, todo tipo de evento da socialite (Infelizmente alguns desses eventos sociais ainda são feitos por lá, o que no meu entender não deveriam). O que é mais grave, a preços menores do que se cobrava para fazer um seminário bancado pelo próprio Estado. Para quem não lembra o Hangar tinha até revista impressa (Latitude), com páginas dedicadas a desfiles de moda e outras aberrações, pagas pelos cofres públicos.
5) Teatro São Cristovão – Para quem não sabe o Teatro São Cristovão é um patrimônio privado pertencente a uma associação de classe. Atravessou vários governos se deteriorando, sem receber manutenção alguma, e a condição que se encontra hoje passou a ser culpa de quem? Do Paulo. Qual a razão de não se pensar em pleitear o resgate do teatro para a iniciativa privada. Quem sabe essas mineradoras poderosas, que exploram nossas riquezas sem internalizar benefícios, possam bancar a restauração do teatro. E se for feita, quem vai gerir, quem vai bancar os custos de manutenção.  Que tal a classe artística assumir essa tarefa, como tem feito o pessoal da Fotoativa, dentro de sua área de competência.
6) Valorização dos artistas locais – Acredito que  o Paulo nunca morreu de amores pelos artistas locais, denota que prefere trabalhar em prol do patrimônio público, cujo benefício é de todos e não de alguns. Essa questão da desvalorização do artista local é histórica, não é algo inerente ao Paulo. (Embora ache que o Paulo não deva se eximir dessa questão). Julgo até que seja essa uma das razões para termos dentro da estrutura administrativa do estado cinco órgãos de cultura: Secretaria de Cultura, Fundação Carlos Gomes, Fundação Curro Velho, Fundação Tancredo Neves e Instituto de Artes do Pará. Descentralizando competências e permitindo ao Paulo trabalhar naquilo que sabe fazer de melhor.  Se não estou enganado, cabe a esses órgãos a gestão da valorização da classe artística. Vale lembrar que alguns dos gestores dessas instituições são artistas, são do meio e poderiam perfeitamente trabalhar com o propósito de atender a todos. Não o fazem por que há facções artísticas-partidárias, cada qual puxando a brasa para a sua sardinha. Os que tinham DAS no governo passado, não tem nesse, e assim a roda se movimenta. Não há união, é cobra engolindo cobra. A desvalorização está implícita na própria classe, na cidade. Tanto o artista que vende como aquele que compra a arte são responsáveis por esse aviltamento. Cansei de ver gente tocando a custa de pizza. De ver gente vendendo desenhos, pinturas, fotos como se fossem artigos de quinta categoria. Claro que fizeram isso e fazem para sobreviver. Mas quem tem competência se estabelece, e aqueles que têm sabem desse submundo em que vivemos, buscam novos ares, se fortalecem e vez por outra passam por aqui valorizados. Valor se conquista, não se adquire por decreto.
Para finalizar, acho uma burrice danada ficar fazendo esse jogo de acusações e queixas pontuais, de eleger o Paulo como o Judas da cultura local. O certo seria cobrar do estado, que é impessoal, uma política mais geral, que resulte nessa justiça reclamada, porém, consequente (não se pode nivelar uma obra de Picasso com um quadro feito por um artesão do interior do Pará) e capaz de trazer mudanças para ambos os lados.

Descoberta científica.

Observem como as grandes descobertas da humanidade acontecem. Há muitos anos escuto que o Pará é um dos estados onde se morre mais de infarto, de doenças cardíacas. E até ontem ninguém sabia explicar a razão desse grave problema. Em um comentário feito no blog sobre a defesa que fiz do Paulo Chaves em relação aos Festivais de Óperas que ele institucionalizou no calendário cultural da cidade, meu amigo Camilo Delduque, rebatendo meus argumentos, tasca essa pérola inesquecível: "O brega é a alma do povo paraense". Eis a razão dos elevados óbitos decorrentes de doenças cardíacas. Nossos corações são bichados, são bregas. Camilo descobriste a razão. Pode até parecer um contra-senso, mas a solução é matar todos os bregueiros para reduzirmos a nossa taxa de mortalidade.

domingo, 4 de agosto de 2013

Agora eu quero ver.

Golpe nada!

Depois que vi esse filme enviado pelo meu primo Naldo, acho que expulsaram injustamente o Paraguai do Mercosul, alegando que cometeram golpe de estado com ascensão do novo presidente da república. Golpe de Estado com esses armamentos de última geração, acho impossível!
video

P.S. Acabamos de receber da embaixada paraguaia uma explicação sobre a novíssima e extremamente cruel arma que aparece no filme enviado pelo Naldo. Segundo o diplomata paraguaio Maragonis Aragonis de Caralhonis, essa arma é a mais letal do arsenal bélico da terra do Uisque Iscocês, ela pode até cair pertinho e não fazer o barulhão que se espera, porém salta um fedor da porra.  

Domingo...

É o dia de se comer fora, da folga da cozinheira. Assim para todos aqueles que adoram uma comida oriental, vai uma dica especial para o almoço de domingo.

Pesquisa das Férias de Verão.

Acaba de sair do forno uma pesquisa feita com turistas homens que visitaram Salinas no mês de julho, e que se hospedaram nos hotéis e pousadas da cidade. 

Tempo é tudo.

Um homem-bomba entra num pet shop e exclama: - Vocês tem 1 minuto para sair desta loja antes que eu exploda tudo!
Uma tartaruga perto do balcão: - Seu filho da puta!

Coisa mais linda de ver # 15.

Paulo está certo.

Podem dizer os diabos, mas o Paulo Chaves está corretíssimo quando promove o festival de ópera para ajudar no desenvolvimento da cidade, que teima em privilegiar bregueiros e outros ruídos horrorosos. As pessoas, principalmente as crianças, precisam ser educadas, ouvir o que de fato presta, para termos uma sociedade evoluída culturalmente. Vejam esse filme publicitário feito pelo Itaú.
video

Comprovado.

Saiu na coluna do Edgar Augusto “Feira do Som” do dia 30/07. Meu amigo Delduque é de fato Arquiteto. Assim tudo que estiver postado neste blog chamando o amigão de Decorador está incorreto, o certo é Arquiteto, que quer queira ou não, estudam e muito decoração, nem que seja de barco, como fez o meu outro amigo, o Paulo Cal.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Maquiavelismo.

Esse meu Botafogo é cruel. Deu um baile no flamengo no primeiro tempo do jogo de domingo, depois não se sabe a razão, deixou o flamengo jogar no segundo tempo, e no último minuto permitiu que os urubus empatassem. Fizeram uma festa danada, até o presidente cantou um monte de bobagens. O Fogão deixou os urubulinos eufóricos, achando que tinham um timaço...
Aí veio o Bahia...catapimba 3 X 0, e o presidente do flamengo num chororô danado. Quanta crueldade.

Guinness book.

O mais demorado exame ginecológico da história durou exatos 4 minutos. Até hoje o dedo do médico conserva o aroma do xiri examinado. Nem o Dr. Abdelmassih conseguiu tal proeza!