Músicas, Seriedades, Burridades e Coisas Ogonorantes.

Um blog para quem não tem nada para fazer. Para pessoas que vieram do nada e hoje não tem porra nenhuma.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mudança de status.

Esse fato já aconteceu há algum tempo, e é bom relembrá-lo. Nosso amigo Veloso que acorda rindo e dorme sorrindo, morou por muito tempo no Conjunto Mendara, que fica na Marambaia. Resolveu vender seu imóvel e partir para investimento mais arrojado. De lá passou a residir no Village Rabbit. Com esse nome imaginava-se que deveria ser um condomínio só para ricaços. Questionado que empreendimento era esse, o Veloso responde: - É uma casinha na passagem coelhinho, mudei o nome para Village Rabbit para ganhar mais status. Ficou bonito mesmo.

Frase do dia.

Enviada pela minha amiga Jane Araújo.
"Quando uma mulher sofre em silêncio é porque está sem crédito no celular."  (Autor desconhecido).

Corretor cruel.

O sujeito colocou um anúncio no jornal: "Tenho casas para alugar - somente para cristãos". No dia seguinte, apareceu um interessado. O dono das casas, um cara muito mal educado, o atendeu: - O que é que o senhor deseja aqui?
- Eu to querendo alugar a casa do senhor!
- Sei, sei! E qual o seu nome?
- David!
- David, do que?
- David Rosemberg!
- Não, não, não! Eu não alugo casa para judeu! O senhor não sabe ler, não! Não viu escrito lá que eu só alugo casa para cristãos!
- Ta certo! Eu sou judeu, mas eu sou cristão...
- Que isso, rapaz! Pensa que eu sou idiota? Não existe judeu cristão!
- Mas eu garanto pro senhor. Eu sou judeu e sou cristão!
- Ah, é! Então eu vou fazer um teste com você. Vamos ver se você é cristão mesmo! O que é que tem dentro da Igreja Católica?
- A sacristia...
- O que mais?
- Tem o Santo Sudário!
- O que mais?
- Tem o altar...
- O que mais?
- Tem o confessionário...
- Jesus é filho de quem?
- De José!
- E de quem mais?
- De Maria...
- E onde nasceu Jesus?
- Em Belém!
- Eu sei que foi em Belém! Eu to falando do local, a casa!
- Não era uma casa! Era uma estrebaria...
- E por que, numa estrebaria?
- Porque naquela época, já existia filho da puta que nem você, que não alugava casa para judeu!!!

Resolvendo a questão de Manaus x Pará.

Um leitor do blog ligou dizendo que uma possível guerra com Manaus não seria exclusiva de Belém, pois o Amazonino esculachou com o Pará inteiro, assim sendo seriam 144 municípios daqui contra 1 de lá, que convenhamos é uma covardia sem tamanho. Para nivelar as coisas e fazer uma luta justa, sugiro colocar a mulher barraqueira que se diz paraense e o Amazonino no paredão do Big Briga, dá um número de telefone para cada um e pede pra negada ligar e votar. Aquele que tiver mais voto deve ser eliminado da seguinte forma: amarra o cara com correntes de aço e põe dentro da casa que está na beira do barranco e que foi alvo de toda a discórdia, e deixa até que a casa caia e mate o culpado soterrado. Assim se resolve tanto o desejo do Amazonino que gostaria que a mulher morresse, como dela própria que queria morrer no local onde estava. Com esse trecho final já há fortes indicativos de quem vai pro fogo dos infernos.

Antonia de Pat Metheny.

A lindíssima composição de Pat Metheny Antonia vai ser o tom musical do blog de hoje até quarta-feira próxima. A interpretação é de Gil Goldstein Group, presente no disco The Tango Kids 1995 (Big World Music).

Domingo furreca.

Eu deveria ter dormido o dia inteiro e só ter acordado nesta segunda, pois foi só desgraça no domingo que passou. Meu Paysandu perde de novo, tem uma defesa que é uma mãe. Por sua vez o sem ex-cudo ganha, e o pior de tudo é que o atoleimado do Ronaldinho Gaucho me fez o gol que garantiu a Taça Guanabara para os urubus. Até a diaba da ressaca foi daquelas chatas que te deixam mufino sem vontade pra nada, nem pra ler jornal. E esses filhos d’uma égua desses narradores da Globo/SporTV só faltam estourar os miolos dos ressacados com gritos em prol desse atoleimado. Só de pensar em ver o urubu do Renato Maurício Prado dizer que o Ronaldinho jogou o fino do fino e que merece uma estátua, me da enjôo. Os caras se esquecem que do outro lado estava o Boa Vista, um time pequeno. O cara sai do Milan e vem fazer festa em cima dessa criança, é muito pra minha cabeça. Esse nosso futebol é muito furreca.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Futebol é pra macho.

Depois que disseram que o Richarlyson joga dis’costas, está surgindo outras histórias e comprovações do mundo futebolístico. Os cientistas esportivos já estão achando que sêmen de jogador de futebol gera cada figura. Veja os exemplos do Toninho Cerezo e do Edmundo, o Animal, o Bad Boy dos Bads Boys. Passaram a vida dando porrada em homem, tomando banho com homem, sentindo o odor de homem nos vestuários, agora se vêem naquela de arrependidos por terem gerados filhos d’uma égua. Eu vivo dizendo que filho é só dor de cabeça, é melhor não tê-los, especialmente nessa época de arco-íris reluzente.



História do Pereio.

Todos devem conhecer o Paulo César Pereio, aquele ator porra-louca que segundo ele próprio já foi expulso até de suruba. Hoje com mais de 60 anos, vive em Belo Horizonte, ao lado de um bar chamado Toca da Raposa, onde costuma contar causos que deliciam a turma local. Pereio já declarou uma vez que torce pela Argentina, e isso se deve ao fato de ter nascido em Alegrete no Rio Grande do Sul, fronteira com o território argentino. O causo é de gaucho e aconteceu justamente em sua cidade natal.
Lá pelos anos cinqüenta na delegacia do Alegrete o titular averigua uma ocorrência passada no interior do município.
O Delegado pergunta ao depoente: - O senhor foi intimado para depor sobre a violenta briga acontecida ontem no seu armazém lá no interior da cidade. Cinco mortos, oito feridos, uma barbaridade.
- No meu bolicho, seu delegado. Quem sou eu para ter armazém? Armazém é do turco Salim, que foi mascate. Por sinal que...
- Não desvie do assunto. Como e porque começou a briga?
- Bueno, pos então, historiemo a coisa ... Domingo, como o senhor sabe, o meu bolicho fica de gente que nem corvo em carniça de vaca atolada. O doutor entende: Peonada no más, loucos por um trago, por uma charla sobre china. A minha canha é da pura, não batizo com água de poço como o turco Salim. Que por sinal...
- Continue, continue, deixe o turco em paz.
- Pos então bamo reto que nem goela de joão-grande. Tavam uns trinta home tomando umas que outras, uns mascando salame pra enganar o bucho, quando chegou o Taio Feio.. O senhor sabe, o índio é mais metido que dedo em nariz de piá, deu um planchaço de adaga no balcão e perguntou se havia home no bolicho. Todo mundo coçou as bolas. Home tem bola, o senhor sabe. O Lautério - que não é flor de cheirar com pouca venta - disse que era com ele mesmo, deu de mão numa tranca e rachou a cabeça do Taio Feio. Um contraparente do Taio Feio não gostou do brinquedo e sentou a argola do mango no Lautério. Pegou no olho - lá nele - e o Lautério saiu ganiçando como cusco que levou água fervendo pelo lombo. Um amigo do Lautério se botou no contraparente do Taio - que já tava batendo a perninha - e enfiou palmo e meio de ferro branco no sovaco do cujo, que lhe chamam Pé de Sarna. Um irmão do Sarna, chateado com aquilo, pegou um peso de cinco quilos da balança e achatou a cabeça do homem que faqueou o Sarna. Os óio saltaram, seu doutor. E eu só olhando, achando tudo aquilo um tempo perdido. Um primo do homem do ferro branco rebuscou um machado no galpão e golpeou o irmão do Sarna. Errou a cabeça, só conseguiu atorar o braço do vivente. Aí eu fui ficando nervoso, puxei meu berro pro mole da barriga, pronto pra um quero. Meu bolicho é casa de respeito, seu delegado, e a brincadeira já tava ficando pesada. Mas bueno, foi entonces que o Miguelão se alevantou do banco, palmeou uma carneadeira, chegou por trás do homem do machado, pé que te pé, grudou ele pelas melena e degolou o vivente num talho, a coisa mais linda. O sangue jorrou longe como mijada de cuiúdo. Aí eu e mais uns outros - tudo home de respeito - se arrevoltemo com aquilo. Brinquedo tem hora, o senhor não acha?
Pergunta ao Delegado: - Acho, sim. Mas e aí?
- Pois, como lhe disse, nós se arrevoltemo com aquilo por ter sido as traição. Saquemo os talher... E foi aí que começou a briga...”

O Segredo...

Contribuição de meu primo Neto.
A longevidade dos profissionais de engenharia: 
 Um médico saiu a caminhar e viu essa velhinha da foto sentada no banco de uma praça fumando um cigarrinho.
Aproximou-se e perguntou:
"Nota-se que estás bem, qual é seu segredo"?
Ela então respondeu:
-"Sou Engenheira, durmo às 4h da manhã revisando sistemas, planilhas, projetos... e me levanto às 6h".
Nos fins de semana não pratico esportes e quase não me divirto. Trabalho fazendo projetos, orçamentos, especificando materiais, revisando planilhas, visitando e acompanhando obras. Isso tudo todos os dias, final de semana, sábados, domingos e feriados também.
Não tomo café da manhã, mal almoço e quase nunca janto porque não dá tempo.
O doutor então exclamou:
- "Mas isso é extraordinário". A senhora tem quantos anos?
- 36...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Tamanho família.

Essa história foi contada numa roda de bêbados no Beto Grill, e o personagem central não pode ser citado por razões de saúde pública.
Nosso amigo, na ocasião com 20 anos de idade, foi a casa da namorada,(que era um pitéo, lindíssima e cobiçada por toda Belém), em uma tarde para dar uns beijinhos, pois segundo ele, jamais imaginaria namorar tal beldade. Chegando na casa sentou no sofá, deu os tais beijinhos na namorada, quando de repente sente umas estocadas estomacais. Ele lembra que estava sem fazer um barro há pelo menos 24 horas, achava que tinha problemas de prisão de ventre. Em princípio julgou que dava para segurar a vontade, porém os cutucadas começaram a se intensificar. Começou a suar frio, e vendo que o problema estava por vir a tona, pediu a namorada para ir rapidinho no banheiro. Ela indicou um lavabo que ficava próximo a sala, e disse-lhe que iria até a cozinha preparar um lanche para degustarem. Ele achou o máximo, e foi para o lavabo enquanto a namorada foi para a cozinha. Entrou no banheiro, abaixou as calças e sentou no vaso sanitário, se controlou ao máximo para não peidar, e fez um pequeno esforço, pois o bicho já estava na beira. Parou as cólicas, dando-lhe um alívio danado. Limpou o fio-fó e quando ia dar descarga tomou um susto com o tamanho do torete que havia feito, era um pão cacete de mais ou menos uns 30centimetros, grosso como um cano de esgoto. Deu a descarga e o bicho nem se mexeu. Tacou de novo o dedo na descarga, e nada o bicho continuava estático na mesma posição. Achou que não podia dar novamente a descarga, o barulho poderia levantar suspeitas. Pegou um pente que carregava no bolso e tentou cortar o torete, não conseguiu, pois estava duro pra porra. Nessa luta escuta a voz da namorada dizendo que estava na sala esperando-o para lancharem. Agoniado teve uma idéia, retirou as duas meias que usava e calçou uma na mão como se fosse uma luva, pegou o torete e colocou dentro da outra meia. Para possíveis vazamentos botou a meia com o torete dentro da meia que usara como luva, em seguida amarrou a ponta, abriu o balancim do banheiro e deu uma pedrada com inusitado embrulho. Pegou um perfume que havia no balcão do lavatório, deu umas borrifadas, bateu novamente a descarga e saiu serelepe, feliz da vida para lanchar com a amada. Cerca de dez minutos depois a mãe da namorada convida os dois para irem até a casa de uma parenta para depois irem saborear um sorvete na extinta Santa Marta. Saíram da casa para apanhar o veículo por uma porta lateral que ficava na copa, e dava direto no local onde ficava guardado o carro. Entraram no veículo, quando a mãe se vira pra filha e diz que coisa é essa no vidro do carro. Era a porra da meia com o torete, colado no pára-brisa dianteiro do veículo. A mãe ligou o limpador de pára-brisa, mas o bicho caiu sobre o capô. A mãe já ia sair do carro para tirar o objeto, mas o nosso amigo dá um pinote, e diz: - Eu retiro senhora! Saiu do carro e pegou o trambolho, e de tão nervoso que estava, não teve discernimento para jogar o troço na lata do lixo, instintivamente deu uma pedrada com o artefato para a casa do vizinho. A mãe da namorada até chamou atenção: - meu filho não faça isso! Mas já era tarde. Foram visitar a amiga da mãe e tomar sorvete. No dia seguinte a namorada telefona pra ele e diz: - Amor o vizinho veio aqui em casa esculhambou com a mamãe, dizendo que nós estávamos jogando fezes humana pra casa deles. Por conta disso o papai quer descobrir quem fez essa porcaria. Depois disso esse nosso amigo nunca mais apareceu para continuar o namoro, perdeu uma princesa por conta de um sorvete. 

Saiu ainda a pouco...

A notícia que o Deputado Tiririca foi convidado e aceitou ser membro da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal. Agora acho que a Educação e a Cultura vão engrenar de vez.

Prosa de Mineiro # 1

Os dois cumpadres pitavam o cigarrim de paia e prosiavam. Um deles pergunta:- Ô cumpadre, cumé que chama mesmo aquela coisa que as muié tem (faz um sinal com as duas mãos), quentim, cabeludim, que a gente gosta, é vermeia e que come terra?
- Uai...quentim... vermeia..? A gente gosta? Uái sô, só pode ser xoxota.
Mas eu num sabia que comia terra, sô!!
O outro dá uma pitada no cigarro:- Pois come, cumpadre. Só di mim, cumeu treis fazenda.

Veice – Poesia Caipira.

Vô contá como é triste, vê a veíce chegá.
Vê os cabelo caíno, vê as vista encurtá.
Vê as perna trumbicano, com priguiça de andá
Vê "aquilo" esmoreceno, sem força pra levantá.
As carne vão sumíno, vai pareceno as vêia.
As vista diminuíno e cresceno a sombrancêia.
As oiça vão encurtando, vão aumentano as orêia.
Os ovo dipindurano e diminuíno a pêia.

A veíce é uma doença que dá em todo cristão.
Dói os braço, dói as perna, dói os dedo, dói a mão.
Dói o figo e a barriga, dói o rim, dói o purmão
Dói o fim do espinhaço, dói a corda do cunhão.

Quando a gente fica véio, tudo no mundo acontece.
Vai passano pelas ruas e as "minina" se oferece.
A gente óia tudo, benza
Deus e agradece, correno ligeiro pra casa,
ou procurano o INSS.

No tempo que eu era moço, o sol prá mim briava.
Eu tinha mir namorada, tudo de bão me sobrava.
As minina mai bonita da cidade eu bolinava.
Eu fazia todo dia, chega o bichim desbotava.
Mas tudo isso passô, faz tempo, ficô pra tráis
As coisa que eu fazia, hoje num sô capaiz.
O tempo me robô tudo, de uma maneira sagaiz.

Pra falá mesmo a verdade, nem trepá eu trepo mais.
Quando chega os setenta, tudo no mundo embaraça.
Pega a muié, vai pra cama, aparpa, beija e abraça
Porém só faiz duas coisa: sorta peido e acha graça."

Poesia Caipira de autor anônimo, enviada pelo meu amigo Luizão Costa, o D.King.

Sincera.

Numa fazenda em São Paulo – onde se cria gado Tabapuã, raça eminentemente brasileira –, Maria Elisa, Alberto e Carlos Artur, filhos do proprietário, recebiam para um grande almoço em torno de uma só mesa, ricos fazendeiros do Sul (interessados na compra de touros para reprodução) e outros visitantes ilustres, diplomatas estrangeiros, gente finíssima.
Lá pelas tantas, invade a sala uma cachorrona intrusa, imediatamente expulsa pelos anfitriões que se desculparam com os convivas alegando que a cadela estava muito carente, pois tinha perdido o companheiro na véspera, picado por cobra.
Cobra? Naquela fazenda limpíssima, cuidadíssima, bacanérrima?
Explicou-se. Caso raro. Às vezes uma ou outra cobra escapa dos cuidados da peonada. Percebendo que os comensais já estavam ficando à beira de um ataque de nervos por causa da história, disseram que a mordida fatal foi a quilômetros de distância da casa grande.
Entrou uma das criadas e Maria Elisa, para reforçar o clima de segurança do almoço, perguntou:– Fátima, onde foi que a cobra mordeu o Ringo?
Serena e precisa, a moça informou:– Nos culhão.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Quase morre afogado.

Na minha época de faculdade tínhamos uma colega dessas porrudas, com cerca de 2 metros de altura e largura, e poucos se atreviam a mexer com ela. Na mesma turma tinha um baixinho de 1,60 m de altura que gostava de matar aula na sexta e se enroscar com uma cabrocha num motel qualquer da cidade. Numa sexta como de praxe o baixinho faltou, e eu havia combinado com ele de sairmos depois para farrear. Quando a aula acabou, lá pelas 11:30 da noite, o baixinho estava na porta da faculdade me esperando com seu possante maverick. Resolvemos tomar uma lá pelas bandas de Icoaraci. No trajeto da viagem o baixinho se vira pra mim e diz: - Sabes com quem sai hoje?
- Eu nem imagino.
- Não reparaste que a grandona também faltou aula.
- Não é possível rapaz. Como conseguiste essa proeza?
- Rapaz sempre fui louco para tacar ficha nessa porruda. Joguei várias lábias e numa dessas ela caiu e acertamos esse encontro.
- Deve ter sido muito bizarro?
- Porra cara quase que eu morro.
- Como assim?
- Caceta, nas preliminares a doida sentou na minha cara. Eu que gosto de tudo, comecei a mamar aquela aranha enorme. A mulher começou a se excitar e se remexer e o meu nariz entrou na toca da aranha. Comecei a ficar sem fôlego, e não tinha força para tirar a maluca de cima de mim, me batia todo na cama, e ela achando que eu estava gozando atochava a aranha no meu nariz. Pensei, porra amanhã vai sair nos jornais que morri afogado numa tabaca respeitável, vai ser um vexame danado. O jeito foi dar uma dentada nos grandes lábios. Ufa!!! Ela ficou puta e disse que não sairia mais comigo. Eu me virei pra ela, se não te mordo nunca mais eu ia sair contigo pois eu ia morrer filha da puta, afogado nessa boca de lobo.

O gato...

Essa piada é uma contribuição de minha Dinda Janete.

Num frio dia de inverno, chega Joaquim no armazém do Manuel:
- Manuel,  eu quero uma dessas bolsas de borracha que você coloca água quente e que serve para esquentar a cama e manter os pés quentinhos.
 - Que azar, Joaquim; hoje de manhã vendi a última para Maria.
 - E o que eu faço com esse frio do diabo que faz à noite?
 - Fique tranquilo, eu posso lhe emprestar meu gato.
 - Seu gato?
 - Meu gato é gordinho, você pode colocar nos pés na hora de deitar, e você vai ver como ele vai te esquentar a noite toda. Na próxima terça-feira chegam as bolsas, aí você vem pegar uma e me devolve o gato.
 - Tudo bem. Obrigado.
 Joaquim pega o gato e vai embora pra casa.  No dia seguinte, volta com a cara toda desfigurada, aranhada pelo gato.
 - Manuel, eu vim devolver seu gato de merda, pode enfiar no cu! Olha como me deixou o filho da puta! Me arranhou todo !!!
 - Mas como! O que aconteceu? Ele é tão manso!
 - Manso? Uma ova! O funil no cu, até que ele aguentou bem, mas quando comecei a encher ele de água quente, aí, ele virou uma fera!!
!

Quanta infelicidade.

As vezes a pessoa é até bonitinha, e vale a pena tirar fotos com celulares e colocar na internet, no orkut, facebook e outras redes que vai fazer um sucesso danado. Muitos desses modelos não conseguem brilhar por pura falta de sorte. Pois eles capricham em tudo: cabelos, maquiagem, cenários, figurino, etc. Só pode ser azar mesmo. Para que não se perca valores desse quilate o blog abriu espaço para esses modelos anônimos que por infelicidade do destino, compraram uma máquina digital errada.


 

Deixa o homem beber.

Um bêbado chega em casa as duas da manhã e sua casa esta trancada, ele começa a chamar sua mulher:- Abre a porta mulher
Ela responde:- Não, você não quer ficar na rua bebendo. Então fique.
E o homem espertamente fala:- Abra a porta por favor, eu trouxe flores para a mulher mais linda do mundo.
E a mulher comovida abre a porta e ele vai entrando e senta no sofá todo largado, e a mulher pergunta:-Ué cadê as flores?
Ele simplesmente responde:- E cadê a mulher mais linda do mundo?

Classificados.



quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Antes de declarar guerra, pensem bem!.

Não teve jeito a turma daqui está mesmo enfurecida e quer declarar guerra contra Manaus. Nós aqui até que tentamos evitar esse sangrento confronto, tentando empurrar esse imbróglio para o Maranhão, de nada adiantou, o pessoal está ensandecido e quer porrada. Para encaramos os manauaras temos primeiro que avaliar o tamanho de cada exército.  Manaus tem 1.800.000 habitantes, dos quais 500 mil são paraenses, maranhenses e outros caboclos, 1 milhão são índios brabos e 300 mil estrangeiros que trabalham na zona franca. Descontando a turma que não é de lá eles têm 1 milhão de indos brabos prontos pra luta. Enquanto isso, aqui somos 1.400.000, que somados com os 500 mil que estão em Manaus, passa para 1.900 milhão, porém temos que abater desse total: 700 mil que são maranhenses, 400 mil piauienses, 300 mil cearenses, 200 mil goianos e 90 mil mineiros que trabalham na Vale, nos resta 260 mil combatentes. Entretanto é necessário retirar desse total: 50 mil que estão trabalhando no Rainhas das Rainhas, 100 mil que estão no fogo da Assembléia Legislativa tentando se explicar como recebiam empréstimo sem ter renda, e 100 mil que vão passar o carnaval em Salinas. Nos sobra 10 mil abnegados para combater 1 milhão de índios brabos. Até o Lyoto Machida não está por aqui, está treinando nos Esteites. Caso façamos essa análise pelo lado bélico, também estamos em desvantagem. Aqui nossos canhões que estão no forte do castelo não funcionam há muito tempo, e ainda por cima se forem mexer neles, o Paulo Chaves vai espinafrar. A guarda do Dudu sequer tem revolver e espingarda, só usa cassetete. Por sua vez a turma de lá tem tudo, a fábrica brasileira que faz revolver e bala fica na zona franca, moto-serra o Amazonino já deu uma para cada índio, e apetrechos de guerra como: óculos 3D, motocicletas potentes, calça jeans, perfumes, video-games, pomada japonesa, bonecas infláveis e CD’s virgens eles têm aos montes. Conclusão estamos ferrados. Nossa única chance é excomungar a mulher que gerou toda essa briga, fazer de conta que eles ganharam, e de vez em quando cortar a luz de Tucuruí que a partir do mês que vem vai abastecer Manaus. Com o frio que faz por lá e sem ar-condicionado, é capaz do Amazonino pedir penico. 

Mataram a charada.

Eu sou um viciado em comer melancia no café da manhã, e vez por outra não tenho paciência de retirar os caroços e tasco tudo pra dentro. Minha secretaria vendo a cena vaticinou: - o Senhor não pode engolir caroço de melancia, ela nasce em qualquer lugar. De estalo pensei: - Será que essa minha barriga não é uma melancia que está crescendo dentro de mim. Ainda dizem que fruta não engorda.

Abaixo a ditadura.

Nessa onda de derrubada de ditadores, um deles possui vários sósias que o ajudam a esconder a sua verdadeira localização, pois já foi vítima de vários atentados. No último deles explodiram um carro bomba em frente ao prédio onde o ditador de fato se encontrava. Em função desse atentado os sósias são convocados para uma reunião secreta. Todos eles estavam com muito medo de perder o emprego, que por sinal era muito bem pago. Nisto, um general entra na sala e diz: - Meus senhores, tenho boas e más notícias! As boas notícias são que o nosso presidente continua vivo, assim continuaremos precisando de todos vocês, portanto todos manterão as suas funções e os seus salários!
Os homens respiram aliviados… nisto o general emenda: - As más notícias são que, neste último ataque, o nosso líder perdeu um olho, parte do braço direito e uma perna…

Falando de futebol.

Ontem o Paysandu jogou contra o Penarol e ganhou de 3x2. O interessante desse jogo foi ouvir o hino do Penarol. Eles copiaram a letra do hino popular do bicola. O nosso hino é: “Uma listra branca outra listra azul, essas são as cores do Papão da Curuzu...”, mas adiante a letra diz “...até o Penarol veio aqui pra padecer”.
Eles que também são alvi-azul fizeram um hino cuja letra é a seguinte: “Uma listra branca outra listra azul, essas são as cores dos leões amazonenses...” e mais adiante a letra diz “...até o Paysandu veio aqui para vencer”. O compositor é um plagiador de primeira, porém muito sincero.
E parecia noite de libertadores, daí o meu Botafogo deu um vexame danado, pensou que estava jogando com o River Plate da Argentina, e acabou perdendo para o River do interior furreca de Sergipe. A turma estava numa moleza. Vai ver que se encharcaram de buchada de bode. Espero que no Rio a turma tome vergonha na cara e jogue alguma coisa.

My Song no blog.

My Song de Keith Jarrett vai estar no blog de hoje até domingo.  A gravação postada é de Julie Wolf, e é uma das raras interpretações cantada, com letra. A faixa consta do disco de Julie “Walk the Worn out Floor’”, de 1997 (Palimpsest Records).

Mistérios revelados # 2.

O que causou o apagão.

Odete Cara de Osso tanto fez para se prevenir de vírus sexuais, que através duma foto sua aqui no blog contaminou o sistema. Bastou uma espirrada de baygon e tudo voltou ao normal.

Bug no blog.

Estamos desde ontem a noite tentando resolver um bug que deu no blog, Não estamos conseguindo postar música e algumas dicas. Já chamamos o Steve Jobs, ele vai resolver tudo antes do meio dia. Esse aviso conseguimos postar no módulo de configurações simples. Juro que as 12 horas o Condureba está com coisas novas. Palavra de escoteiro pobre!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Nota 10 para esse Prefeito de Manaus.

Como você qualificaria uma pessoa que morava aqui, pobre, sem instrução, que pega as poucas tralhas que tem se aboleta num barco de quinta categoria com a filharada, e se muda de vez para morar no subúrbio de Manaus em área de risco. Cem por cento diriam: OGONORANTE. Logo, tudo que foi dito pelo Prefeito de Manaus está absolutamente correto. Tem um ditado que diz, quando nortista arruma a mala e vai mais pra dentro da selva é 90% maranhense ou 10% piauiense, que antes foi pro Maranhão. Além disso, o Prefeito perguntou de onde ela veio, e não onde ela nasceu. A briga é com Sarney e nós já estamos nos metendo, isso é coisa de barraqueiro. A turma do sul/sudeste tem toda razão, aqui só tem caboco.

Deu na Internet # 11.

D.Marieta até já previu que vai morrer no dia 1º de abril. E confidenciou para a jornalista. "Minha filha quando eu nasci não tinha essa história de sexo, era só saliência mesmo."

Histórias que já sabemos o fim # 1.

Metástase.

Essa que me contou foi o Veloso, faz algum tempo.
Um homem vai ao médico bastante preocupado e se queixa: Doutor se toco aqui nos meus pés dói muito. Se toco aqui na batata da perna dói mais. Se toco na minhas coxas é muita dor. Se toco no abdômen a dor é insuportável. Se toco na minha face tenho vontade de chorar. Meu Deus o que tenho Doutor?
- O seu dedo está quebrado!

Pra que serve isso?

Você já teve ter visto um igualzinho a esse debaixo da pia da cozinha, na área de serviço. Pegue antes que sua empregada estrague, e passe a utilizar o mais novo e revolucionário produto o IKuspe companheiro inseparável de seu: Iphone, Ipod, Ipad...

Histórias do Delduque # 1.

Meu amigo Camilo que já é sócio aqui do blog me mandou essa história, que segundo ele: “vale pela disposição de um amigão meu, da Escola de Engenharia".
  
O ano era 1973. O professor, hoje falecido, José Augusto Affonso, lecionava Cálculo II. Eu, do alto da minha sabedoria tabatinguense, pouco sabia de Cálculo.Como até hoje. Em um dia de prova, sentávamos na mesma fileira, contando do quadro negro para os fundos, o Carlos Alberto de Carvalho Lopes, o Cabeto, ou somente Lopes, hoje funcionário da Receita Federal, inteligência fantástica, o Armando Lima de Mendonça, atualmente safenado, e eu Camilo Delduque. Posso até afirmar, hoje, que havia ordem na capacidade escolar da fila. A prova, composta de três questões, era muito além da minha capacidade. Fiz as duas que sabia mas havia uma que extrapolava os meus conhecimentos. Ao terminar as duas, falei ao Armando que iria entregar a prova. O Armando não permitiu. Disse que o Lopes passaria cola da questão difícil. Fique embromando até ver o Lopes passar um papel, devidamente amarrotado, para o Armando. Era a bendita cola. Avidamente o Armando pôs-se a copiar até irromper em um desabafo: "filho da puta". Escutei. Ao tentar saber o motivo da ofensa o Armado Mendonça passou para mim o papel amarrotado. A cola exibia a armação do problema e, um pouco adiante, era possível ler: Daqui para a frente é só patati-patatá... Entregamos as provas como estavam e o Armando quase mata o Lopes na cantina da Escola.

Mistérios revelados # 1

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Mais de 5.000.

Entramos na era do carro velho, hoje rompemos a barreira dos 5.000 acessos, portanto vamos ter que trocar o óleo. Pra isso vou ter que acumular alguns borós, pois com o físico que tenho para arrumar uma lindinha só sendo milionário ou ela sendo apalavrada. Sem grana vou ter que me contentar com a Odete Cara de Osso, isso é, se eu conseguir provar pra ela que parceiros grandes não têm riscos de AIDS, pois como já disse aqui, depois que ela soube que a saída era reduzir os parceiros, agora só troca o óleo para anões, pigmeus e fedelhos.

Índio velho.

O homem foi fazer turismo nos confins da Bolívia. Num dos passeios os turistas foram visitar o templo do índio de 98 anos com a melhor memória do mundo. Havia uma enorme fila, mas o homem queria ver se a memória do índio era mesmo boa! Nessa fila cada pessoa podia fazer só uma pergunta qualquer para o índio que ele responderia. O homem esperou pacientemente, pagou os 10 dólares e fez a sua pergunta: -O quê índio comeu no lanche do dia 2 de maio de 1937?
-Ovos! Respondeu o índio sem pensar.
Claro que o homem ficou sem acreditar, pois como saberia se era verdade?
Como era apenas uma pergunta por turista, foi embora com a certeza que fora enganado. Cinquenta anos depois o homem estava passeando nas ruas de NY quando viu sentado na calçada o mesmo índio. Sem acreditar nos seus olhos, pois o índio já devia ter mais de 140 anos, ele perguntou: -Mas como?
E o índio mais uma vez sem titubear: -Cozidos!

Fórmula da Coca-Cola.

Anote e faça em casa, pois já não é mais segredo pra ninguém. Um bocudo publicou na internet, e a empresa não confirmou e nem desmentiu. Papel e caneta, vamos a ela: para a mistura do famoso ingrediente secreto da Coca-Cola são necessárias oito onças de álcool, 20 gotas de óleo de laranja, 30 gotas de óleo de limão, dez de óleo de noz moscada, cinco de óleo de coentro, 10 de óleo de neroli - das flores da laranjeira amarga - e 10 de óleo de canela. O restante da bebida é elaborado com três onças de ácido cítrico, duas onças e meia de água, uma de cafeína, uma de baunilha, duas pitadas de suco de lima, uma onça e meia de bala para dar cor e uma quantia de açúcar que é ilegível na lista. Para testar se é vero mesmo, fizemos a bula aqui no blog. O gosto ficou quase “igualzinho”, pois tivemos dificuldades em pegar as 15 onças, e usamos 30 gatos em substituição.

Falando sério.

Sempre pensei que as ideologias das pessoas fossem construídas pelos princípios partidários, e não pelos belos olhos dos homens do partido. Porém mudou tudo. Hoje quem chega no Brasil e assiste o PT em massa votando o mínimo do mínimo do Salário Mínimo não vai entender nada. Quem lê que no Governo Lula a censura de imprensa correu solta não vai entender nada. Também nem é preciso entender, basta um “d.a.essezinho” que o cara passa a vestir a bandeira do partido desde criancinha. Conheço gente pacas que já vendeu a alma e faz pose de bonitinho. Pra cima de mim não violão. Passo fome, mas me vender nunca. Ideário não se vende e nem se compra, se conquista. Por outro lado vou encerrar a história por aqui, pois o blog é pra coisa séria e não brincadeira de mau gosto.

É mais quem quer.

Tem muita gente querendo andar a tira-colo do Steve Jobs sócio majoritário da Apple. Os médicos deram exatos seis semanas de vida pro homem, que está com câncer. Nesses casos o cara deve andar com papel e caneta no bolso, e aproveitar o último suspiro para pegar a assinatura dele na folha em branco. O resto o novo dono na Apple pode fazer em um dos computadores da sua nova empresa, depois registrar no cartório e rezar para não ter câncer. 

Uma boa outra má.

Hoje a CBF reconheceu o título brasileiro de 1987 da urubuzada. Em compensação, hoje foi concluído o estudo encomendado pelo Governo Federal sobre o Bolsa Família. Os cientistas sociais apontaram algumas conclusões interessantes. Dentre as principais destacamos: o Bolsa Família está gradativamente acabando com a miséria, porém está aumentando o número de cachaceiros. Em seguida arremata, com a redução dos pobres as torcidas do Flamengo e do Remo estão fadadas a extinção. Eu choro!!!

 P.S. Lembro que a do Palmeiras já está extinta há muito tempo.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Johann Sebastian Bach.

Arioso de Bach na interpretação do pianista de jazz Terry Trotter vai dar o tom sonoro do blog de hoje até quarta. A gravação está no disco It's About Time, de 1993 (MAMA Foundation).

Eletros hi tech.

Aproveitando a onda do marketing com a divulgação feita ontem das promoções do Osório, anunciamos nessa segunda-feira dicas supimpas de eletrodomésticos, essenciais para que sua casa funcione com o que há de mais moderno no mundo de aparelhos para cozinha e área de serviço.


Lembranças para sempre.

La vai mais uma história onde não posso citar nomes, no caso, por razões cristãs.
Um grande conhecido foi fazer um giro de férias com a família pela Europa. Passeou pelos principais Países e cidades européias: Roma, Milão, Veneza, Paris, Munique, Frankfurt, Viena, Londres...Conheceu lugares bonitos, e como todo bom amigo não esqueceu de ninguém. Comprou uma lembrança para cada um de nós. No seu retorno fomos recepcioná-lo no aeroporto, de lá nos dirigimos até sua casa, onde tivemos oportunidade de escutar notícias frescas da Europa, ver fotografias e assistir o desarrumar das malas. A cada mala aberta vinha uma surpresa, um de nós ganhava sua lembrança. Não sei por que carga d’água ganhei uma garrafa de conhaque francês, deve ter sido por conta das infâmias que diziam que eu bebia pacas. Em determinado momento um de nossos amigos ganha de presente uma caixa parecendo ser uma camisa, e era, só que um conjunto de camisas de Vênus alemães, cada uma diferente da outra. Tinha com crista de galo, com chifre, com espinho, com nódulos, para tudo que é gosto. Julgamos que o agraciado ganhou essa camisaria, pois o viajante deveria achar que o homem era pegador, ou transmissor de doenças venéreas.
Um ano depois, estávamos praticamente todos nós reunidos novamente conversando amenidades. Em determinado momento um dos presentes recorda daquele encontro, e aproveitou a oportunidade para agradecer ao viajante o presente. Teceu vários elogios, etc. O viajante todo orgulhoso achou por bem consultar os demais se gostaram do que ganharam. Eu não lembrava direito, sei que bebi todo o conhaque, fiquei porre e tive amnésia alcoólica. Em seguida o viajante perguntou: - Fulano, e as camisinhas de Vênus alemães gostaste?
Aí o presenteado lascou: - Adorei, tenho até hoje.
- Ah! Então não usaste; olha tem prazo de validade!
- Rapaz eu uso muito, é que eu lavo depois.

Piada burra # 31.

O príncipe acaba achando o sapatinho de Cinderela. Vai até o palácio para vestir a seu melhor traje e ir ao encontro da mocinha, quando sua ama lhe diz: - Esse sapato não vai mais servir, ela agora é lésbica!
No mesmo instante ouve-se um grito do príncipe: - Graças a Deus, estou livre. Agora posso viver para sempre com meu cavalo.

O barato sai caro.

Mas é muito mão de vaca. Tem dinheiro pra porra e me compra uma cadeira de praia tamanho P. Depois se empanturra de guloseimas na praia. Não tem outra, as apalavradas vão passar vergonha desentalando o mecenas da cadeira.

Poesias Curtas (by Nego Nelson).

Belém cidade linda e morena,
mas tem seus defeitos.
Afinal de contas,
ninguém é Prefeito.

Para sempre Timão.


Independente de resultados, de libertadores, de eliminações, de títulos, não existe no mundo torcida igual a do Corinthians. É algo apaixonante, indescritível, que extrapola o sentimento de qualquer torcedor. Hoje antes do jogo com o Santos a torcida deu outra demonstração de amor ao clube, de gratidão aos seus ídolos. Emocionante. Ser corintiano é bom demais.
P.S. Como sempre esses árbitros cariocas garfando meu Botafogo. Todos viram o pênalti que o Renato Abreu cometeu ao desviar a bola, que chagaria no Louco Abreu, com a mão, só o juiz fez que não viu, (ele e esses narradores da Globo/SporTV que são tudo urubuzada). Se fosse contra nós era cal. Menos pior que perdemos nos pênaltis e sem que o atoleimado do Ronaldinho Gaucho fizesse alguma coisa que prestasse.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Não tem jeito.

Fome dói.

Essa quem me contou foi o Maurício Lelis e não posso de modo algum nominar as pessoas sob pena de provocar uma guerra nuclear.
Uma turma de amigos pegou umas meninas gostosinhas que não cobram para trepar, porém adoram a grana do parceiro, e foram para um motel fazer todo tipo de estripulias. No meio da galera havia um gordinho, de biótipo a la condureba que pegou sua gatinha e se instalou em uma suíte dessas máster, com mais dois amigos e suas respectivas escorts. Ligaram para a recepção e pediram várias bebidas e comidinhas, especialmente para tira-gosto. Para facilitar a tarefa colocaram os petiscos em balcão que ficava estrategicamente ao pé da cama.
Enquanto um casal ia para a piscina, outro ficava na banheira de hidromassagem e o terceiro casal ficava com a cama. Agiam com civilidade até que as meninas esquentassem as turbinas e Roma de Calígula se instalasse no recinto. Numa dessas transas ordeiras, o gordo pega a gata e vai pra cama, e começam o fuck-fuck, ele por ser gordo por baixo e ela por cima. A cada três pombadas do gordo ele pedia para a menina: - Arreda, arreda, arreda...Mais três pombadas e: - Arreda, arreda, arreda..Intrigados com aquele apelo, os amigos resolveram constatar o que estava acontecendo. Largaram as parceiras e foram se aproximando da cama. Lá estava o gordo a pedir para a parceira: - Arreda, arreda, arreda...Caíram na gargalhada que baixou o tesão de todo mundo. O pedido do gordo visava levar a parceira, sem tirar o bicho de dentro da aranha, até o pé da cama onde estavam os petiscos. A cada três pompadas o gordo pedia: - Arreda, arreda, arreda... Pegava um tira gosto e continuava o fuck-fuck. Fome dói, e queimando energia desse jeito o menino poderia passar mal.

Seqüestrador malvado.

Após meses de expectativas e de muitos planos, um homem, que por acaso se chamava Manoel conseguiu sequestrar a filha de um empresário riquíssimo. A família da menina estava já preocupadíssima, pois o sequestrador, dois dias depois do sequestro, ainda não havia entrado em contato com a família da vítima. Foi quando receberam um pacote contendo dois globos oculares, era uma cena repugnante e desesperadora. Dentro do pacote o seguinte aviso do sequestrador, para provar que não estou para brincadeiras: "Estes são os meus olhos, os próximos serão da sua filha”.

Descontos de estourar os miolos.

Tome todos os remédios que tiver ao seu alcance e cure essa ressaca, pois amanhã temos várias dicas de promoções sem igual. Acorde cedo, de madrugada é melhor ainda, escove os dentes, se quiser fazer cocô tem que ser rápido, e se possível não tome banho, faça um leve asseio, pois a loja vai estar apinhada e você vai sair de lá precisando de um bom banho. Engula café com pão tudo de uma vez só e saia na carreira para a Loja do Osório e compre tudo que tiver em oferta, são megas liquidações, vale a pena. Confira as principais:
P.S. – Queremos saber quem é o cara que calcula preço pro Osório, e gasta cartolina com essas placas de promoções. Amigo passa aqui no blog que está chovendo oferta de emprego pra ti ô cavalo.

Piada rápida (by Bira Porto).

Dois cabocos estavam conversando em uma para de ônibus, um deles escutava no radinho de pilha as últimas notícias.
- Ulha...tu sabes quem está muito mar, na UTI do Hospital de Sum Paulo.
- Quem?
- O Tiririca!
- O que ele teve?
- Ele sufreu um ABC.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O Blog está de luto, com atraso.

Só hoje soube catando coisas na internet que Abbey Lincoln faleceu em NY no ano passado, com 80 anos. A notícia me pegou de surpresa e me deixou muito triste. Abbey Lincoln, na minha opinião, era a melhor cantora de jazz que tive oportunidade de ouvir, e marcou muito os anos em que me dediquei a ouvir jazz quase que diariamente. Tenho hoje toda sua discografia, e sempre estou ouvindo sua forma impar de cantar. Era também compositora de mão cheia, uma perda sem dimensão para o mundo do jazz. Em sua homenagem o blog posta um de seus grandes sucessos “Down Here Below”, composição dela própria, gravada no disco A TURTLE’S DREAM (Verve - 1994). 

Ouça Abbey Lincoln cantando Down Here Below.

A trancada da Vilma.


Início dos anos 70, e como já comentei aqui no blog, nossas farras geralmente acabavam na casa do Tonho, onde cometemos o latrocínio do Galo da Titia (post do dia 07/02/2011). Em uma dessas farras fui dormir na casa dele, e nesse dia devíamos ter bebido até solda cáustica, eu pelo menos estava imprestável. Lembro que quando chegamos da farra para dormir, minha tia e minha prima (Vilma) já estavam na casa, o Naldo chegou depois, porém não me viu, ou seja, só o Tonho sabia que eu estava na casa. Deitamos, e aquela OLA do largo de Nazaré entrou na minha cabeça. Rodava tudo, teto, cama, o que estivesse presente no quarto. Passando mal do porre, resolvi ir até o banheiro molhar a cabeça para amenizar o castigo. Não tive nem tempo de fechar a porta, pois já entrei no banheiro vomitando. Resolvi fazer tudo ao mesmo tempo, vomitar e lavar a cabeça. Abri o chuveiro e comecei a despejar todos os meus pecados: vesícula biliar, macarrão, salsicha da pior espécie que vendia no bar, e outras coisas que nem mendigo teria coragem de comer. O banheiro da casa do Tonho era bem estreito, e quando me deitei no box do banheiro, fiquei igual a um embrulho de prego, uma trouxa de lavadeira, atravessado de um lado a outro do banheiro. De tanto vomitar, acabei dormindo pelo cansaço, a água do chuveiro acabou, pois a caixa d’água secara. Fiquei dormindo naquela posição fetal. Nisso, a Vilma minha prima vai ao banheiro e como já sabia o caminho, não acendeu a luz, porém esbarrou em mim que estava deitado no chão. Pensou de imediato: é o Tonho. Foi chamar o Naldo. O Naldo que chegou quando eu já estava no banheiro tinha visto o Tonho dormindo e disse para a Vilma: - Não é o Tonho...o Tonho está dormindo. A Vilma foi constatar e viu de fato o Tonho dormindo. Deu-se a merda, achou que só podia ser um ladrão caído no banheiro. A Vilma acordou a Titia e o Naldo e alardeou o fato: - Mãe, Naldo, tem um ladrão no banheiro! O que vamos fazer. Já sei...Naldo pega aquela tranca da porta da cozinha e dá umas trancadas nesse bandido. Dito e feito, o Naldo desceu a escada e foi pegar a dita tranca (a mesma que usamos para tentar matar o galo). Era uma perna-manca respeitável, de grosso calibre, certamente de maçaranduba ou acapu, pesava tipo angelim-pedra, uma porrada era suficiente para me transformar em farelo, já que era magro na ocasião. O Naldo sobe a escada e quando já estava preparado para adentrar o banheiro e tacar o sarrafo, o Tonho acorda com aquela confusão. A Vilma avisa: - Tonho volta pro teu quarto tem um ladrão no banheiro, o Naldo agora vai dar uma porretada nele. O Tonho percebe o problema e segura a turma: - Não façam isso, é o Renatinho que está dormindo coçado no banheiro. Putz! Fui salvo pelo gongo. A partir dessa data, continuei a fazer minhas farras e toda vez que ia ao banheiro, mesmo na minha casa, colocava a carteira de identidade entre os dentes, para facilitar o reconhecimento do cadáver em situações onde o Tonho não estivesse.

Invenções espetaculares # nº 1.

A indústria de louças sanitárias agora vai deslanchar de vez depois desse invento do Cagador-Namorador, feito para cagar a dois. O invento resolve vários problemas, tipo: falta de tempo para conversar com a amada; medo de fantasmas, visagens e gente morta quando se caga sozinho; se um dos membros do casal for defeituoso pode ajudar o parceiro a limpar a bunda; se for médico pode examinar in loco se o parceiro está ou não estragado. Além disso, você pode também usá-lo sozinho, caso haja muita merda no seu intestino, você enche primeiro um, depois vai para o outro sem que haja transbordo de merda no banheiro. É o apetrecho mais vendido para penitenciárias de segurança máxima, o guarda caga junto com o preso, não deixando que ele se suicide. Segundo a Sociedade dos Pneumologistas não há registros de efeitos colaterais graves, a não ser intoxicação pulmonar e explosões freqüentes em banheiros pelo excesso de gases, porém nada que preocupe. Já há inclusive o modelo bilíngüe que traduz simultaneamente idiomas de casais de nacionalidades diferentes, e amplifica possíveis ruídos vindos das profundezas do intestino grosso, basta girar o botão da descarga ao contrário.

Cafeína estressante.

Um bêbado entra num bar e pede no balcão três cafés.
- Três cafés? – pergunta o balconista.
- Sim, um para mim, outro para ti e outro pra puta da tua mãe!!!
No dia seguinte, o mesmo bêbado repete o mesmo pedido, no mesmo café e para o mesmo balconista.
- Três cafés...
- Três?...
- Sim.. Três... um para mim, outro para ti e outro pra puta da tua mãe!!!
Desta vez o balconista se aborreceu pulou para o outro lado do balcão, agarrou o bêbado e encheu de porrada!
No dia seguinte, todo entrevado, o bêbado volta ao bar, se aproxima do balcão onde estava o mesmo empregado, que lhe recebe com um sorrisinho cínico e pergunta-lhe:- Então, três cafezinhos, não é verdade?
- Não. (Responde o bêbado). Só dois: um pra mim e outro pra puta da tua mãe! Pra ti não, porque o café te deixa estressado.

Mas é uma anta.

Como é que esse filho duma égua convida o pai para tirar uma foto dessas??!! Não há explicação. Olha a cara do pai, diz se ele não está orgulhoso??!! Filho igual a esse é mais quem quer ter para extravasar seu lado sanguinário (gostaria de ver o Paulo Andrade com essa criatura). É uma anta, a mãe desse menino deveria ter feito laqueadura desde que nasceu, para não ter gerado esse pimpolho trambolho.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Piada burra # 30.

Um terrorista nas alturas olha para um lado, olha para o outro e exclama: - Cadê a porra do Wolrd Trade Center??!!
- Ei Bin Laden, deixa da tua graça rapaz. Tu estás no arraial de Nazaré no piu-piu ogonorante.

Nasceu um pé de pica no Maranhão.

A aparência curiosa de uma planta chamou a atenção de moradores
do município de São José de Ribamar. O maracujazeiro de apenas dois
anos, brotou frutos cujo formato é semelhante à genitália masculina. A
dona de casa, Maria Rodrigues de Aguiar Farias, 53 anos, é a proprietária
do maracujazeiro e explica como tudo começou. "Minha filha me deu as
sementes há dois anos. No começo até recusei, pois maracujá dá em todo
lugar, mas ela insistiu disse que seria um bom lugar para descansar embaixo da sombra e acabei aceitando", acrescentou. Ela alega que a semente é parecida com a semente do maracujá tradicional, contudo, acha que não é maracujá. "Estou curiosa para saber que gosto tem".
Segundo dona Maria, os frutos começaram a brotar no mês passado e
a descoberta foi feita por seu filho que imediatamente comunicou o fato.
"Mamãe, está nascendo um pé de pica no nosso quintal!", contou.
O desenvolvimento da planta deve-se também a extrema dedicação
da vizinha Maria Elizabeth da Cruz, que diariamente regava o maracujazeiro.
"Eu sempre regava o pé, mas nunca imaginei que fosse ficar nesse formato.
É muito estranho e engraçado. Parece muito com aquilo".
Dona Maria Rodrigues afirma que várias pessoas mostraram-se
interessadas no cultivo deste exemplar. "Vou distribuir as sementes para as
pessoas que me pediram". A visitação tornou-se freqüente, porém, sempre
sob os olhares atentos da dona. E dentre os curiosos estava o jornalista
ribamarense Edson Rêgo, que propôs a divulgação do fruto.
Totalmente Orgânico. O fato mais intrigante é que Maria Rodrigues nega qualquer tipo de manipulação. "Eu só plantei e ela ficou assim. Meus vizinhos já batizaram de maracujá pica", ressaltou.
Os engenheiros agrônomos da Agência Estadual de Defesa
Agropecuária do Maranhão (Aged) ficaram surpresos com o fato. Os
técnicos da Aged optaram por analisar a planta e posteriormente elaborar
um parecer a fim de esclarecer as possíveis causas para a anomalia do
maracujazeiro.
P.S. – A explicação técnica dessa surubada vegetal para o Blog é a seguinte. Como Maranhão é a terra onde o babaçu abunda, estava faltando um pé de Marapaujá para cobrir tanta abundância da outra praga. Gostou né Sarney? Agora até o teu Moribundo de fogo vai levar Marapaujá no meio do rego. Além disso, quero ver os bonitinhos maranhenses dizendo que “refresco de marapaujá só dói no cú dos outros!” 

Aconteceu no show do U2 em Portugal.

Emocionante...
Num concerto da Banda U2 em Lisboa, Portugal, o vocalista Bono pediu silêncio ao público e depois começou a bater palmas, no ritmo da música que os colegas de banda tocavam. Ele foi batendo palmas... a música ficando cada vez mais suave... Então ele olhou para os músicos e eles também silenciaram. Só as palmas ritmadas do Bono, ecoavam pelo estádio lotado. Ele foi se movimentando até o microfone e olhando para as pessoas, todas quietas... Então disse, num tom sério: - Eu quero que vocês pensem nisso... A cada batida de minhas mãos, uma criança morre na África!
Então ouviu-se a voz de um portuga das arquibancadas, em alto e bom som:
 - Ora pois, ó caralho, então pára de bater palmas, ó filho de uma puta!
P.S. Essa é contribuição do meu primo Naldo.

Essa aconteceu em Cuba.

Fidel Castro resolve ir ao cinema incógnito. Senta-se no meio da multidão e, no escuro, ninguém o reconhece. Na tela passa um jornal de atualidades local. De repente, aparece ele próprio no filme, na varanda da sua residência, falando para os cubanos. Imediatamente a sala inteira levanta-se e aplaude. Só o ditador permanece sentado, saboreando a sua glória. Então o vizinho do lado inclina-se para ele e segreda: - Levanta-te, paspalhão!! A sala está cheia de dedo-duro e podes ser fuzilado pelo filho-da-puta do Fidel!!!

Pobres...

Enquanto passava umas férias na Europa, um desses xeiques do petróleo e a esposa decidiram enviar presentes aos seus amigos. Entraram numa galeria de arte onde compraram um Van Gogh, um Rembrandt e dois Picassos.
- São 1,6 milhões de dólares. - Disse o vendedor.
O xeique pagou em dinheiro e depois virou-se para a mulher:
- Pronto agora que já escolhemos os postais vamos comprar os presentes.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Milton volta ao blog.

De hoje até domingo o Milton Nascimento vai comandar o som do blog com sua interpretação da canção “Me faz bem” de autoria do próprio Milton com seu parceiro Fernando Brant. A faixa consta do último disco do bituca gravado no ano passado, “...E a gente sonhando”, (EMI/Odeon). A letra do Fernando é sensacional:
Me faz bem o teu jeito de se enroscar
De chegar mansinho, e se aninhar 
De me fazer teu par
Me faz bem esse jeito bom de gostar
Viajar veredas, que são mistérios maior que o fundo do mar 
Bem, me faz bem arrepio de imaginar
Me perder no lume do teu olhar, respirar
Tocar, o teu corpo solto no cio
Me faz bem ser o velho lobo do mar
Que não cansa de navegar, pois muito tesouro existe por lá
Me faz bem teu jeito de amar
Tens mais mistérios do que o mar.